NOSSO CANAL - VÍDEOS RECOMENDADOS

Loading...

ASSISTA OS VÍDEOS


EU VOCÊ E JAMES, JUNTOS NO YOU TUB


Há um ano comecei a formatar um blog que, na verdade, nem eu sabia ao certo o que pretendia e nem como seria esse “filho”, já que existiam muitos blogs falando com propriedade sobre Parkinson. Resultado: coloquei em "stand by". Queria colocar as idéias no lugar e aguardar uma inspiração.

Por que o nome EU, VOCÊ E JAMES?

EU: podemos falar dos nossos sonhos, aspirações, de receitas, atualidades, alegrias e tristezas, e variedades diversas.
VOCÊ: é a principal razão da existência do blog. É quem vai ajudar na construção e divulgação do espaço que vai ser seu. O espaço é livre.
JAMES: Vixe... Esse aí não é fácil. Como já disse acima, existem muitos blogs que tratam do assunto com competência científica e isso é muito bom. A proposta é que seja uma abordagem bem suave, com humor, pois necessitamos muito de diversão e alegria. Não podemos nos envolver apenas com os aspectos fisiológicos do Parkinson. Vamos tratar do tema com leveza.

Com o Sr. James aprendi, além de outras coisas:
- Ter calma, já que os nervos são o principal fator de problemas para nós;
- Ter sempre um projeto de vida para se apaixonar: como dizia Chico Xavier, estar apaixonado por um projeto faz com que Deus nos dê mais tempo de vida;
- Me movimentar mais, lembrando do sábio Almir Sater na música Tocando em Frente: “Ando devagar porque já tive pressa...”.

E com minha amiga Dalva Molnar aprendi muitas coisas, inclusive que temos muito TA...LEN...TO.

Este blog está trocando de roupa- AGUARDE: EM BREVE NOSSO CLOSET ESTARÁ COMPLETO

quinta-feira, 28 de outubro de 2010



Maratona de uma pessoa com Parkinson.

É complicado o dia-a-dia de um parkinsoniano. A partir do veredicto, você corre
para a internet e vai se informar sobre a doença, para saber das próximas etapas.

Engraçado!? Você começa a dar risada, se parar para digerir todas as novas
prioridades. "Rio, rio, rio. Rio pra não chorar, pra quem não sabe sou rio,
a cantar".

A doença, constatada, consome tempo. Desta data em diante não sobrará hora, nem
para "dar uma namoradinha".

Como um maratonista, inicia-se uma longa prova de resistência, sob o impacto
deste diagnóstico.
Ao final do terceiro ano, as repetições de procedimentos vão
ficando chatas e você passa a pensar em relaxar com algumas atividades. Mas,
logo o Dr. James se instala, com um lembrete nada agradável: dificuldades de
movimento; uma travadinha aqui, outra alí; voz baixa; a expressão facial
começa a assumir um ar parado, sem comentários...

A rotina estabelece obrigações. Eu disse: OBRIGAÇÕES!

A primeira coisa, ao acordar: tomar aquelas droguinhas, que vocês conhecem.
Sifrol, Prolopa , Mantidam ih!
Ah! A Prolopa é tão boa que tem, que eu saiba, 3 tipos - Prolopa, Prolopa HBS e
a Prolopa Dispersível. Nem vale à pena denominar todas as drogas.
Brincadeiras a parte, a Prolopa e todos os remédios são o que nos mantêm vivos. Precisamos deles.

Depois: Caminhar. A caminhada é boa para ajudar na coordenação - marcha. Alongar
antes e após qualquer atividade física.

Aí vem a maratona:
Fisioterapia;
Psicológa;
Fonoaudióloga;
Hidroginástica;
Pilates;
Outras atividades motoras para trabalhar os "movimentos finos"
(catar feijão, arroz, alguma atividade manual, etc);
Ginástica facial - fazer caretas defronte o espelho;
Exercitar frases “Trava Língua”;

Haja disposição...

Bem colega, diante do diagnóstico de hoje, procure não desanimar. Esta não
é minha intenção!
Isto é, sim, um mini diário das suas obrigações doravante. Ou faz, ou piora.
Assim sendo, procure ter uma vida saudável.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Esclarecimentos sobre James

Devido a algumas perguntas sobre James, me dei conta que devo esclarecer quem foi James Parkinson, este grande médico humanista e algumas considerações sobre a doença.

ASPECTOS HISTÓRICOS DA DOENÇA DE PARKINSON == Autor: ELVIO ARMANDO TUOTO == James Parkinson descreveu em 1817 uma doença neurológica até então desconhecida, a qual recebeu o nome de doença ou mal de Parkinson. A doença de Parkinson é um distúrbio do sistema nervoso central, de causa desconhecida, e que afeta principalmente o sistema motor. A sua prevalência na população é de 150 a 200 casos por 100.000 habitantes e a cada ano surgem 20 novos casos por 100.000 habitantes. Os sintomas motores mais comuns são: tremor, rigidez muscular, acinesia (imobilidade) e alterações posturais. Entretanto, também podem ocorrer outros sintomas, tais como comprometimento da memória, depressão, alterações do sono e distúrbios do sistema nervoso autônomo. O inglês James Parkinson (1755-1824) foi médico, paleontólogo amador e ativista social. Sua carreira médica foi ofuscada por sua luta em diversas causas sociais, filantrópicas e até revolucionárias. Em 1817 publicou o estudo An Essay on the Shaking Palsy, no qual caracterizou a paralisia agitante como uma entidade clínica. Foi Jean-Martin Charcot que, 40 anos mais tarde, denominou-a doença de Parkinson. A doença de Parkinson é um epônimo médico universalmente consagrado, sendo utilizado com bastante freqüência, inclusive na imprensa leiga.

Morreu o 21 de dezembro de 1824, sendo enterrado no cemitério de Saint Leonard Parkinson foi a primeira pessoa que descreveu sistematicamente seis indivíduos com sintomas da doença que leva seu nome. Algo inusual para a descrição, ele não examinava a seus pacientes, mas sim os observava a diário. Foi Jean Martin Charcot quem fixou o termo como "A doença de Parkinson" depois de 60 anos de sua descoberta Além de ser médico, Parkinson teve um grande interesse na geologia e a palentología, bem como na política de seu país.

video


Os parkinsonianos têm sete vidas como o gatinho do vídeo e sabem usar bem as suas habilidades. Há dias de garbo e elegância, equilibristas em cima do muro. E outros, em que, para economizar forças, é preciso se arrastar um pouco. Mas, sem perder o charme peculiar dos felinos.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

ALÔ GALERA! ESTA É UMA HOMENAGEM AOS PARKINSONIANOS FEITA PELA POETISA E AMIGA LUHANA. ESPERO QUE GOSTEM TANTO QUANTO EU GOSTEI.


Passos tímidos explorando uma nova condição
Não é possível paralisar a marcha
A vida nos empurra em qualquer direção

Passos fortes suportam mais penitência
E ensaiam novos passos de dança
A coreografia é a guerra da existência

Diante de uma platéia familiar
Recomeçando passo à passo
O bailarino precisa se arriscar

Mas, viver não é pecar
Passos mudam de direção
Descortinam sem pudores: PK.