NOSSO CANAL - VÍDEOS RECOMENDADOS

Loading...

ASSISTA OS VÍDEOS


EU VOCÊ E JAMES, JUNTOS NO YOU TUB


Há um ano comecei a formatar um blog que, na verdade, nem eu sabia ao certo o que pretendia e nem como seria esse “filho”, já que existiam muitos blogs falando com propriedade sobre Parkinson. Resultado: coloquei em "stand by". Queria colocar as idéias no lugar e aguardar uma inspiração.

Por que o nome EU, VOCÊ E JAMES?

EU: podemos falar dos nossos sonhos, aspirações, de receitas, atualidades, alegrias e tristezas, e variedades diversas.
VOCÊ: é a principal razão da existência do blog. É quem vai ajudar na construção e divulgação do espaço que vai ser seu. O espaço é livre.
JAMES: Vixe... Esse aí não é fácil. Como já disse acima, existem muitos blogs que tratam do assunto com competência científica e isso é muito bom. A proposta é que seja uma abordagem bem suave, com humor, pois necessitamos muito de diversão e alegria. Não podemos nos envolver apenas com os aspectos fisiológicos do Parkinson. Vamos tratar do tema com leveza.

Com o Sr. James aprendi, além de outras coisas:
- Ter calma, já que os nervos são o principal fator de problemas para nós;
- Ter sempre um projeto de vida para se apaixonar: como dizia Chico Xavier, estar apaixonado por um projeto faz com que Deus nos dê mais tempo de vida;
- Me movimentar mais, lembrando do sábio Almir Sater na música Tocando em Frente: “Ando devagar porque já tive pressa...”.

E com minha amiga Dalva Molnar aprendi muitas coisas, inclusive que temos muito TA...LEN...TO.

Este blog está trocando de roupa- AGUARDE: EM BREVE NOSSO CLOSET ESTARÁ COMPLETO

sábado, 31 de dezembro de 2011

Café protege mulheres da depressão


Bebida precisa ser consumida em grandes quantidades para ter esse efeito
 

27/12/2011 - O café aumenta o bem-estar e a energia. Além disso, um estudo da Faculdade de Saúde Pública de Harvard constatou que a bebida traz outro benefício para as mulheres: quando elas consomem a bebida grandes quantidades, pelo menos quatro xícaras por dia, têm risco 20% menor de sofrer depressão.
A pesquisa, entretanto, não esclarece completamente de que forma o café afeta a depressão feminina.
Os profissionais da faculdade também perceberam que a bebida pode proteger contra a doença de Parkinson, tanto em homens quanto em mulheres. Os autores do estudo querem agora investigar os benefícios do café em relação à saúde mental.
Fonte: R7.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

A respeito do comentário do Sr. Marcos , que utilizou o blog para descarregar sua indignação com o resultado da cirurgia da sua espôsa, quero esclarecer que em nenhum momento sugeri a ele que realizasse qualquer procedimento médico.
Marcos, tudo bem?
comentáriovolto aqui novamente. incrivel ninguem pra me responder.quando da errado ninguem fala nada. acho que deveria montar um blog - eu e a mentira. esse cirem e outra bosta - escrivi para la, e a resposta. nao podemos atender seu pedido devido aos sintomas de sua mulher. QUE MERDA ELES APERFEISOARAM ENTAO.
Olha, entendo seu sofrimento, revolta e me coloco através do meu blog ao seu inteiro dispor.Redija e relate o caso da sua esposa e mande por escrito que autoriza a Iris Sena a publicar o ocorrido . (põe o nome completo).
O meu blog Marcos, é democrático e se, de alguma forma, puder ajudar vc, estarei às ordens.
Fale da cirurgia, o que deu errado, o estado da sua espôsa agora e o seu pedido á Classe Médica.Relate também que vc recorreu a Cuba e a resposta.
Ponha a idade da sua mulher, quantos anos de Parkinson. Por favor mande para meu e-mail.
Estou aguardando. Quanto a criação de um blog denunciando erros é uma idéia mas não ée a minha intenção.



sábado, 17 de dezembro de 2011

MENSAGEM DE NATAL.

A \minha mensagem de Natal para vocês que me ajudaram prestigiando o meu blog esse ano é muito simples. Quero agradecer a confiança, o carinho de vocês do Brasil, Alemanha, Rússia, Estados Unidos, Iugoslávia , Argentina, Suécia, França Croácia , Eslovênia, Índia, entre outros países que, por algum motivo, se identificaram comigo e me prestigiaram acessando o meu blog.  Que nesse Natal, Papai Noel venha trazendo para vocês muita saúde, amor, confiança em dias melhores e um mundo melhor para toda humanidade. Que em 2o12 os cientistas se  dediquem cada vez mais ao estudo, pesquisas e a qualquer momento venha uma notícia bombástica como a cura para o Parkinson e outras tantas enfermidades que pessoas como eu e você estejamos esperando para nos trazer uma vida mais participativa, mais amena, sem dores, mais tranquila. etc...
Com as minhas dificuldades de saúde, procuro sempre transmitir o que eu sinto realmente. Alegria, amor, doação.
Acreditar que a vida e o mundo podem ser melhores, dependendo apenas de nosso próprio esforço, é a força que me faz procurar ser melhor a cada novo dia.
FELIZ NATAL E UM ANO NOVO CHEIO DE SONHOS REALIZADOS!
Parkinson: “Cuba não oferece milagre, mas medicina


Vários escritores mexicanos impedidos de continuar seu trabalho em função do mal de Parkinson submeteram-se a tratamento no Centro Internacional de Restauração Neurológica (Ciren), em Cuba, e se recuperaram, podendo retomar suas obras. O tratamento envolve procedimentos minimamente invasivos.
Os cantores Lucha Villa e Alberto Cortéz recorreram ao centro cubano. Alberto, para recuperar a força na mão esquerda, comprometida por um infarto cerebral provocado por uma intervenção cirúrgica. O cantor ficou tão satisfeito com o resultado que batizou carinhosamente os corredores da clínica de “pavilhões da esperança”.
Lucha Villa, por sua vez, sofreu uma parada cardíaca durante uma lipoaspiração, que a levou ao estado de coma no México. Foi removida para a clínica cubana e, depois de algum tempo em tratamento, apresentou “uma melhora notável” de suas capacidades neurológicas, como memória, concentração, raciocínio e linguagem.
Ao menos 60 publicações internacionais avalizam as pesquisas científicas do Ciren, centro mundialmente reconhecido como de referência no tratamento do mal de Parkinson. Também no campo do infarto cerebral – um tipo de acidente vascular cerebral que, não tratado, pode levar em poucas horas à morte – o centro oferece uma cirurgia que usa células da medula óssea para curar a doença.
Parceria México - Cuba
O centro cubano, líder mundial em recuperação neurológica, trabalha há mais de uma década em parceria com o México. Com a colaboração de dois médicos mexicanos, René Druker Colín e Ignacio Madrazo Navarro, realizou o primeiro transplante neural em um cubano com mal de Parkinson. Bem-sucedida, a intervenção representou um avanço fundamental nessa área da medicina.
Foi a partir desta experiência que nasceu o Ciren, que atende doentes com Parkinson, Alzheimer, paralisia cerebral, epilepsia, entre outros tipos de danos cerebrais, inclusive traumatismo. Também oferece tratamento para autismo, lesões cerebrais, esclerose múltipla, além de transplante neural para as vítimas do Parkinson

.Atendimento infantil
Mais de mil pacientes são atendidos anualmente pela instituição, que dedica atenção especial às crianças com problemas neurológicos. Os clientes chegam de dezenas de países para se submeterem aos tratamentos e programas de reabilitação que são realizados em quatro etapas de 28 dias. Em cada etapa, o paciente permanece internado e com supervisão 24 horas de um neurologista.
Para o médico Emilio Villa Acosta, presidente do Ciren de Cuba, o momento mais perigoso na vida de um ser humano é o do nascimento, pois podem ocorrer lesões que, mais tarde, causam desde problemas motores a neurológicos. Nesse caso, assegura Acosta, tempo é fundamental: “Quanto antes for feito o diagnóstico, melhores as chances de reverter ou impedir danos à criança”, conclui.
Fonte: vermelho.org.br




Vídeo mostra o que acontece no cérebro da mulher durante o orgasmo

Pesquisadores americanos fizeram um vídeo em 3D mostrando o que acontece no cérebro de uma mulher durante o orgasmo. A animação, feita com imagens de ressonância magnética de uma voluntária (que se masturbou em laboratório), mostra a atividade cerebral crescente em 80 regiões distintas, até culminar no clímax sexual.
O vídeo foi apresentado em conferência da Society for Neuroscience, em Washington, Estados Unidos, e divulgado pelo site The Visual MD. A notícia foi publicada na edição on-line da revista americana "Time".
Segundo Barry Komisaruk, psicólogo da Universidade Rutgers, Nova Jersey, e um dos coordenadores do estudo, o mapeamento do orgasmo pode ajudar mulheres que não conseguem chegar lá. Além disso, revela mecanismos de prazer que futuramente podem ajudar em pesquisas sobre depressão ou dependência química.
SEQUÊNCIA DE CORES
O vídeo usa uma escala de cores quentes que começa no vermelho escuro, muda para laranja e amarelo e termina no branco, quando o nível de atividade cerebral é mais alto.
No início da estimulação sexual, são "ligadas" áreas sensoriais que mapeiam os órgãos genitais. Aumenta a atividade de regiões envolvidas no processamento de emoções, como a ínsula, o cingulado anterior e a amígdala.
Em seguida, o hipocampo, que processa memórias, é acionado. De acordo com os pesquisadores, isso pode estar relacionado com a lembrança de fantasias sexuais ou com a gravação da experiência.
A estimulação atinge, então, o córtex pré-frontal, envolvido no planejamento e no pensamento abstrato. São ativados locais relacionados com o movimento corporal e a tensão muscular típica do orgasmo.
Em seguida, o hipotálamo libera oxitocina, o "hormônio do amor", importante para a criação de vínculos emocionais. No auge, há uma grande atividade do núcleo acumbente (chamado de "centro do prazer"), que termina com a liberação de dopamina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Só então a atividade cerebral diminui.
A CIÊNCIA DO ORGASMO
Não é a primeira vez que o orgasmo feminino intriga cientistas. Algumas pesquisas, inclusive, já questionaram sua existência e elaboraram várias teorias sobre o assunto.
Uma das teses mais aceitas diz que o orgasmo feminino existe só porque o masculino precisa existir. O prazer sentido pela mulher seria um subproduto da evolução --elas sentem prazer pelo mesmo motivo que eles têm mamilos.
Há outras hipóteses, como a de que a sensação de prazer serviria de incentivo para a mulher repetir o sexo. Ou, então, que a contração do útero ajuda os espermatozoides a chegarem até o óvulo.
 Fonte:Folha.com

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Ganar movilidad jugando con la wii Son Llàtzer y la Fundació iBit han creado programas de telerehabilitación para afectados por ictus, Parkinson y otros males Carmen Castro y el vicepresident Aguiló observan una demostración del uso de un programa. CAIB I. OLAIZOLA. PALMA La rehabilitación también juega con la wii y la playstation. Y gana partidas. Al menos esa es la intención del hospital de Son Llàzter y la Fundació iBit, que han creado el Laboratorio de Innovación en la Salud (HILAB, por sus siglas en inglés) para incorporar la telemedicina a los procesos asistenciales de rehabilitación y conseguir además mejorar sus resultados. Estos programas van dirigidos a pacientes con dificultades de movilidad provocadas por diferentes enfermedades como el Parkinson, ictus o pluripatologías vinculadas a la edad. Uno de los programas desarrollados, el Play for Health (Juega por la Salud), consiste en un conjunto de vídeojuegos y métodos de interacción diseñados específicamente para que los pacientes puedan seguir los programas de rehabilitación desde sus domicilios. La doctora Maria Angels Farreny, jefa del servicio de rehabilitación de Son Llàtzer, admite que en estos momentos ninguno de los pacientes juega con estos programas en sus domicilios, pero que al menos cincuenta personas con problemas de movilidad ya lo han probado en el departamento de su hospital. "En rehabilitación del hospital de Manacor se acaba de instalar y también esta disponible en una residencia de la tercera edad de Felanitx", acota. La doctora Farreny explica que se trata de unos programas que se desarrollan a través de vídeojuegos en los que el facultativo puede elevar su dificultad en función de la problemática del paciente y seguir su evolución de tal manera que, cuando ha superado un determinado nivel, pueda ajustarlo a otro de mayor dificultad para conseguir avanzar en su rehabilitación. "El aspecto cognitivo se trabaja con juegos como puzzles, rythm, una serie de secuencias de figuras y sonidos que se tienen que recordar y reproducir, y los molobolos, algo similar a los populares comecocos. Para trabajar el aspecto físico, hemos apostado por los elementos que se pueden encontrar en el mercado de los vídeojuegos a precios asequibles para todo el mundo, como la pista de bailes, el wiibalance (una especie de tabla de equilibrio), el wiimote o unos simples guantes de boxeo para el ejercitamiento de personas que no pueden coger objetos pequeños con las manos", enumera la doctora Farreny La jefa de rehabilitación añade que el objetivo es que el paciente trabaje al mismo tiempo el aspecto cognitivo con el de la movilidad. Esto es, cuando coloca una pieza del puzzle en el sitio que le corresponde, ha de mover el brazo para que ésta se desplace por la pantalla. "Hasta el momento lo hemos usado con resultados satisfactorios en personas mayores con dificultades de movilidad, enfermos que han padecido un ictus y pacientes con Parkinson. Y con niños, que siempre están dispuestos a jugar con estos aparatos", explica la responsable médica. Entre las principales ventajas de esta tecnología desarrollada por el HILAB habría que citar el hecho de que proporciona comodidad a los pacientes, que pueden seguir estos programas con total libertad de horarios y en su propio entorno evitando así desplazamientos innecesarios. El desarrollo de la telerehabilitación también tiene un matiz económico, ya que optimiza los recursos humanos y disminuye las peticiones de transporte especial. El hecho apuntado más arriba por la doctora Farreny €los dispositivos para incidir en el aspecto físico no son caros y están al alcance de todos en el mercado de los vídeojuegos€ fideliza en cierta manera al paciente con el juego o pruebas que ha de superar y los programas se perciben como una actividad lúdica que aumenta la adherencia a los tratamientos. Es como si pasar de pantalla tuviera un premio: mejorar tu movilidad. fonte:Diario de Mallorca.es.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Descoberto mecanismo capaz de reduzir o colesterol ruim

Baixar o LDL Cientistas anunciaram um grande avanço para o desenvolvimento de medicamentos para combater o chamado colesterol ruim (LDL) no organismo. O LDL (Low-Density Lipoproteins: lipoproteínas de baixa densidade) é frequentemente associado a problemas que incluem doenças cardíacas, derrame cerebral e obstrução das artérias. Em um organismo com um funcionamento normal, as células do fígado produzem um receptor LDL que se liga e remove essas lipoproteínas do sangue, diminuindo assim os níveis de colesterol. Enzima IDOL Os cientistas identificaram uma enzima, chamada IDOL, que desempenha um papel fundamental na regulação da quantidade desses receptores de LDL disponíveis para se ligar com o colesterol ruim e eliminá-lo. Portanto, alvejando a enzima com medicamentos será possível aumentar os níveis de receptores de LDL, diminuindo assim o colesterol LDL presente na circulação sanguínea. "O desenvolvimento de uma droga que interfira na atividade da IDOL pode ajudar a reduzir os níveis de LDL. Nossa pesquisa aumentou muito a nossa compreensão deste importante processo," afirmou o Dr. John Schwabe, da Universidade de Leicester (Reino Unido), que desenvolveu a pesquisa em colaboração com seus colegas da Universidade da Califórnia (EUA). Leis de mercado Antes de publicar os artigos científicos descrevendo a descoberta, o grupo registrou patentes para a exploração do mecanismo recém-descoberto em novos medicamentos para controle do colesterol. Agora eles estão tentando vender a patente ou licenciá-la para algum laboratório farmacêutico interessado na sintetização desses fármacos. DIÁRIO DA SAÚDE

sábado, 10 de dezembro de 2011

Cuba derrota a doença de Parkinson

Cuba derrota a doença de Parkinson Por Ernesto Carmona Pesquisadores cubanos desenvolveram uma técnica para implante de células nervosas que vivem nas profundezas do cérebro para curar a doença de Parkinson. Dr. Julian Alvarez Blanco, diretor do Centro Internacional de Restauração Neurológica (Ciren), explicou que essa conquista da medicina cubana é devido ao desenvolvimento de um procedimento cirúrgico chamado avançados cirurgia estereotáxica ou cirurgia de acesso mínimo, juntamente com as mais recentes técnicasmapeamento cerebral computadorizado e registros da atividade cerebral elétrica superficial e profunda. "Isso nos permite localizar precisamente as células se formando agora e implantá-las, exatamente as áreas afetadas por uma cânula de pequeno diâmetro, e com o mínimo de risco à vida do paciente", disse Alvarez. "Ou seja, foi estabelecida caminhos muito precisa para alcançar estruturas cerebrais profundas. Nós certamente estamos orgulhosos de ser um dos mais avançados do mundo nessa atividade nas neurociências ", disse o especialista cubano. O Ciren também dá esperança para aqueles que sofreram danos e morte de células cerebrais que têm sido produzidos afasia (dificuldade em falar e ouvir) por causa de lesão cerebral, acidente vascular cerebral, traumatismo crânio-encefálico e hemiplegia. Pacientes tratados no Ciren recuperar muitas das funções perdidas para os novos métodos aplicados a eles neuro-restaurativos. Veja a matéria completa aqui Fonte: Notícias Bolivarianas

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Dieta de baixos carboidratos duas vezes por semana emagrece, diz estudo

Uma pesquisa apresentada em um simpósio sobre câncer de mama em San Antonio, no Texas (EUA), mostrou que uma dieta intermitente de baixos carboidratos funciona melhor do que esquemas tradicionais, em que a quantidade de calorias é controlada dia a dia.

Os médicos do Centro de Prevenção Genesis, na Inglaterra, perceberam que restringir os carboidratos dois dias por semana pode ser melhor do que restringir as calorias todos os dias para perder peso e para prevenir câncer de mama e outras doenças.
"Perder peso e reduzir níveis de insulina são medidas necessárias para prevenir câncer de mama, mas isso é difícil de conseguir e manter com dietas comuns", diz Michelle Harvie, autor do trabalho.
Ela e sua equipe compararam três dietas por quatro meses em 115 mulheres com histórico familiar de câncer de mama. Elas foram dividas em três grupos. Cada um fez uma dieta: restrição calórica com baixo consumo de carboidratos duas vezes por semana; uma dieta com carboidratos restritos e gordura saudável liberada, como nozes, duas vezes por semana, e uma dieta de restrição calórica parecida com a mediterrânea, sete dias por semana.
As duas dietas intermitentes foram melhores do que a mediterrânea para reduzir peso, gordura corporal e resistência à insulina.
A redução média de peso foi de 4 kg nas intermitentes, contra 2,4 kg na mediterrânea, depois dos quatro meses. A resistência à insulina foi mais reduzida nas dietas com baixos carboidratos do que na mediterrânea comum.
É interessante que a dieta que só restringe carboidratos mas permite proteínas e gorduras é tão eficaz quanto a que restringe calorias e carboidratos", afirmou Harvie, em comunicado à imprensa
fonte:Folha.com

DESABAFO

Estive pensando sobre sintomas da doença de Parkinson,  surgimentos de outros sintomas  vou tentar ser mais clara.
1- Digitando, meu dedo repica e troco letras. Obviamente a palavra sai errada.
2- Á noite, meus pés e pernas incham.
3- Aparecimento de varizes 
4- Abdômem distendido
5- Ás vezes enjôos, vomitos( não é todo dia)
6- Dormindo muito pouco(uma média de 4 a 5 horas) e tenho amigas que dormem 2 horas.
7- Hiperativa
8- Reflexos cada dia mais exacerbados
9- Tolerancia ZERO.
Bem, meu objetivo é uma troca de experiência com vc, Parkinsoniano. Quem sabe a gente trocando idéias consiga um denominador comum. Não sei porque as pessoas não postam comentários. É tão útil e fácil.
Alguns sintomas expostos por mim, sei que são efeitos colaterais dos remédios. No meu caso tomo Sifrol e Prolopa. Pensem no meu apelo. É mais fácil conversarmos com nossos pares e admitirmos que "ESTAMOS no MESMO BARCO".
Para dificular as coisas meus exercícios estão parados, estou há meses com uma crise de  hérnia de disco. É muita coisa para uma pessoa tão pequena como eu. Continuo afirmando que a cura está vindo,
vindo de "JEGUE" mas vai chegar. Finalizo dizendo que: O ideal é não ter Parkinson e mais legal se pudessémos não tomar as drogas....porque esses remédios são drogas poderosas. Foi só uma brincadeira. Nunca parem de tomar o seu remédio. De preferência, no horário certo

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011




Aparelhos de bolso podem no futuro diagnosticar infecções com o clique de um botão, graças ao uso das telas sensíveis ao toque supersensitivas usadas nos smartphones atuais.

Muitos acreditam que, no futuro, a coleta de amostras de saliva, urina ou sangue poderá ser feita por meio de um aparelho descartável, barato e do tamanho de um pen drive batizado de lab-on-a-chip (laboratório-em-um-chip). O usuário injetaria uma gotícula do fluido no chip, e microbombas internas enviariam o fluido para vasos internos contendo os reagentes que extraem as moléculas de criação de doenças específicas. O aparelho seria então enviado ao laboratório para análise.



Mas Hyun Gyu Park e Byoung Yeon Won, do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul, em Daejeon, acreditam que telas sensíveis ao toque podem aprimorar o processo ao permitir que um celular substitua o trabalho de laboratório. Park sugere que o lab-on-a-chip poderia permitir que uma pequena gotícula da amostra seja pressionada contra a touchscreen de um telefone para análise, em que um aplicativo diria se você está com infecção alimentar, faringite ou gripe, por exemplo.




A ideia depende de um método criado pela dupla para controlar a maneira como uma tela sensível ao toque sente a capacidade de um dedo de armazenar carga elétrica --algo conhecido como capacitância. A sensitividade capacitiva de touchscreens é muito maior do que o necessário para sentir nossos dedos enquanto jogamos games ou enviamos tuítes. "Como essas telas podem detectar mudanças de capacitância muito pequenas, nós pensamos que elas podem servir como uma plataforma de detecção extremamente sensível para biomarcadores de doenças", diz Park.



Assim a dupla iniciou testes de laboratório para conferir se as telas sensíveis ao toque que levamos no bolso podem ter um papel no diagnóstico de nossas doenças. Primeiro eles usaram três soluções contendo concentrações diferentes do DNA da bactéria que causa clamídia e aplicaram gotículas de cada uma em uma tela multitoque do tamanho da de um iPhone. Eles descobriram que o "output" (sinal de saída) da matriz de eletrodos em linhas cruzadas sensíveis ao toque da tela foi capaz de distinguir a capacitância causada por cada concentração usando gotículas de apenas dez microlitros ("Angewandte Chemie International Edition", DOI: 10.1002/anie201105986 ).

Joe Raedle/France-Presse

A dermatologista Antonella Tosti, em Miami, usa um iPhone para examinar sintomas de câncer de pele
A tecnologia ainda não é capaz de identificar patógenos individuais, mas Park vê a habilidade de a tela diferenciar concentrações como um primeiro passo nessa direção.

No entanto, antes de a ideia ser aplicada, o software embutido nas telas sensíveis ao toque, que elimina sinais de toque falso causados por umidade ou suor, teria que ser modificado. Park também planeja desenvolver uma película que possa ser adicionada à touchscreen, à qual os biomarcadores seriam anexados. "Ninguém quer a aplicação direta de amostras biológicas em seu celular", ele diz.

"Isso é potencialmente possível", diz Harpal Minhas, editor do jornal "Lab on a Chip". "Mas qualquer mudança na atual linha de produção de telas sensíveis ao toque teria que demonstrar grandes benefícios financeiros antes de ser implementada." E o sequenciamento de DNA, não a medição de concentração, tem mais probabilidade de ser necessário para o diagnóstico de doenças, complementa.
Fonte Folha.com


quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Estudo identifica gene associado a maior necessidade de sono


Especialistas europeus dizem ter encontrado um gene associado a uma maior necessidade de sono.


Um estudo envolvendo mais de 10 mil pessoas de diversos países europeus concluiu que quem possui o gene ABCC9 precisa de cerca de 30 minutos a mais de sono por noite.
Segundo a pesquisa, publicada na revista científica "Molecular Psychiatry", um em cada cinco europeus carrega o gene.
BBC
Portadores do gene ABCC9 precisam de cerca de 30 minutos a mais de sono por noite, diz estudo feito em países europeus
Os pesquisadores da Universidade de Edinburgo, na Escócia, e da Universidade Ludwig Maximilians, em Munique, na Alemanha, dizem que a revelação pode ajudar a explicar comportamentos associados ao sono.
Cada um dos participantes disse quantas horas dormia por noite e teve uma amostra de seu sangue colhida para análise de DNA.
A necessidade de sono pode variar significativamente de uma pessoa para outra. A ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher, por exemplo, era conhecida por precisar de apenas quatro horas de sono por noite, enquanto o cientista Albert Einstein, 11.
MOSCA-DAS-FRUTAS
O estudo envolveu pessoas das ilhas Orkney, além de Croácia, Holanda, Itália, Estônia e Alemanha.
Os pesquisadores queriam saber como era o padrão de sono dos participantes em dias livres, ou seja, quando não tinham de trabalhar ou tomar remédio para dormir.
Ao comparar os dados sobre padrão de sono com os resultados da análise genética, eles concluíram que os participantes que possuíam a variante ABCC9 precisavam de mais tempo de sono do que a média de oito horas.
A equipe investigou então como esse gene influenciava o padrão de sono de moscas-das-frutas, que também carregam essa variante.
Moscas sem o gene ABCC9 dormem três horas a menos do que as que carregam o gene, os pesquisadores constataram.
ENERGIA
O gene ABCC9 atua como sensor de níveis de energia no corpo humano.
Segundo os cientistas, o estudo abre um novo caminho em pesquisas sobre o sono. Eles dizem esperar que investigações futuras possam estabelecer exatamente como essa variante genética regula o tempo de sono necessário para cada indivíduo.

O especialista Jim Wilson, da University of Edinburgh, diz: "Humanos dormem aproximadamente um terço de suas vidas. Com frequência, a tendência de dormir por períodos mais longos ou mais curtos é um traço de família, apesar da quantidade de sono poder ser influenciada pela idade, latitude, estação do ano e ritmo circadiano [período de aproximadamente um dia, o qual se baseia o ciclo biológico do corpo humano]."
Fonte:Folha equilibrio e Saúde.com






"Curiosidades sobre dbs e amantadina"


Droga consegue acordar pacientes de coma depois de anos

06/12/11 - ... relatos de casos particulares de coma ...
Mas, na última década, uma série de desenvolvimentos fundiram-se em um quadro muito mais complicado do que anteriormente imaginado. Em 2003, um homem chamado Terry Wallis, do Arkansas, emergiu, depois de 19 anos, a partir de um estado de consciência mínima. Exame de neuroimagem sugere que seu cérebro havia essencialmente sido reconfigurado _ neurônios sobreviventes haviam contornado as áreas cerebrais traumatizadas e mortas, forjando conexões entre si. Em um artigo da revista "Nature", Nicholas Schiff, neurologista, da Weill Cornell Medical College, trabalhou com uma equipe para mostrar que a estimulação cerebral profunda _ a implantação cirurgicamente de "marcapasso cerebral", que envia impulsos elétricos para regiões específicas do cérebro _ pode ajudar alguns pacientes gravemente feridos a recuperar a capacidade de falar e comer, anos após a lesão. E neste mês, Adrian Owen, neurocientista britânico, em artigo publicado na revista "The Lancet" mostrou que os cérebros de alguns pacientes que pareciam vegetativos responderam a comandos básicos: seus corpos não se moveram, mas distintos padrões de disparo neuronal foram detectados nos exames cerebrais, quando estes pacientes foram orientados a cerrar o punho (o que desencadeia reação de uma região do córtex pré-motor) ou a mexer os dedos dos pés (o que provoca outro circuito específico).
Este ano, os cientistas do Moss Rehabilitation Research Institute e da Universidade da Pensilvânia, ambos na região da Filadélfia, nos EUA, iniciaram o primeiro estudo clínico em grande escala sobre os efeitos do zolpidem como tratamento para distúrbios de consciência. Amantadina, uma droga usada para tratar a doença de Parkinson, e Ativan, medicamento contra ansiedade, também mostraram-se como promessas para aumentar a consciência em pacientes minimamente conscientes. Até agora, as evidências sugerem que menos de 10% dos pacientes com lesões cerebrais experimentaram o efeito paradoxal de drogas, e que, entre aqueles, poucos responderam tão profundamente quanto Viljoen fez. Para os médicos, estes casos trazem perguntas. Por que um comprimido para dormir induz a consciência em alguns pacientes, mas não outros
Fonte: G1

domingo, 4 de dezembro de 2011


Meio homem, meio animal: cientistas implantam células humanas em rato

Pesquisa mostra que neurônios modificados podem ser a cura para doenças nervosas, como epilepsia e Mal de Parkinson.
Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/ciencia/15862-meio-homem-meio-animal-cientistas-implantam-celulas-humanas-em-rato.htm#ixzz1fas9mang
Estudo realizado por cientistas da National Academy of Sciences (PNAS) revela que é possível incorporar células humanas em ratos. A intenção principal da pesquisa era verificar se as células humanas podem ser reprogramadas, a fim de exterminar as doenças nervosas para as quais ainda não existe cura. Para fazer isso, os pesquisadores misturaram células-tronco neurais com neurônios de rato e implantaram o resultado dessa combinação no hipocampo de um animal vivo. Os neurônios do bicho que foram usados na operação foram estimulados por meio de luz. A constatação da pesquisa mostrou que as células humanas foram realmente incorporadas pelo organismo do animal, funcionando normalmente no sistema nervoso do rato. As implicações positivas da pesquisa são as possíveis curas para doenças do sistema nervoso, como a epilepsia e o Mal de Parkinson. Isso pode acontecer por meio da retirada dos neurônios afetados para realizar a maturação externa deles, com a finalidade de provocar a modificação genética necessária para exterminar o mal. Somente depois as células seriam reimplantadas no organismo humano, já sadias e sem resquícios da doença. Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/ciencia/15862-meio-homem-meio-animal-cientistas-implantam-celulas-humanas-em-rato.htm#ixzz1faqJNtpX

sábado, 3 de dezembro de 2011

II Encontro Nacional Parkinsoniano de Lazer


O II Encontro Nacional de Lazer dos Parkinsonianos e Cuidadores tem como objetivo principal o encontro e reencontro de parkinsonianos, cuidadores e familiares de todo o Brasil, quiçá do exterior.
Como disse nossa companheira Mônica, no I Encontro de Timóteo: “Sou feliz porque tenho Parkinson, pois se não o tivesse, não conheceria tanta gente maravilhosa, não teria tantos amigos, como tenho hoje.” Já, a nossa companheira Graça, do Gruparkinson/MG, disse no I Encontro de Lazer em Itaipava - RJ: “Não tenho Parkinson, mas ainda vou ter, para não sair do convívio de tanta gente maravilhosa e amiga, que encontro nos Congressos pelo Brasil afora.”
É isso mesmo! Os encontros, os congressos, os chats nos levam a pessoas que nunca encontraríamos se não tivéssemos o “inglês” conosco! Não teríamos a oportunidade de conhecer pessoas como: Samuel, Badu, Gervásio, Genário, Cézar, Paulo Mucuxi, Dalva, Regina, Mônica, Iris, Renato, Doca, Marcilio e Ligia, Nemercio, Maria Celia, Elma, Moacir, Magno, Zilda, Cel. Pato, Cristine, Elma, Silvia e Douglas, Ângela, Paulo e esposa , Milton e Maria Candida, entre tantas outras, as quais, me desculpem por não citar aqui, mas que moram em nossos corações.
E assim, para a nossa felicidade, formamos a cada dia, a cada encontro, com cada uma dessas pessoas, a grande família ‘treme-treme’.
Vocês não podem imaginar a alegria de um reencontro e, aqui em Salvador, não será diferente! Estamos preparando um Encontro “apimentado” e com muito amor.
A BAHIA LHES ESPERA DE BRAÇOS ABERTOS. VOCÊ É PEÇA FUNDAMENTAL.
PROGRAMAÇÃO:
Dia 3-05 CHEGADA
Manhã – transfer convidados aeroporto x hotel (feito pelo próprio hotel em micro ônibus que saem do aeroporto de 2 em 2 horas gratuito)
14:00 às 17h INSCRIÇÃO
A secretaria estará funcionando para os pré e novos inscritos
17h às 18:30h -BOAS VINDAS DO ENCONTRO
Apresentação das associações no auditório do hotel

20:00 – 23:00h - LUAU
Luau no deck da piscina do hotel com jantar incluso – cantor voz e violão – traje havaiano

Dia 4-05 - UMA VOLTA EM SALVADOR
7:00H - Café da manhã
9:30h - CITY TOUR
City tour em ônibus ar condicionado com guia turístico
 visita Farol da Barra, Igreja de São Francisco, Elevador Lacerda e Mercado Modelo
13:30h - Almoço livre no Mercado Modelo
15:30h - Ônibus retorna para o hotel - Tarde livre

21:00 – 00:00h - BAILE A FANTASIA
Baile a fantasia na Boite do hotel - jantar baiano incluso – traje típico

Dia 5-05 - PASSEIO NA PRAIA DO FORTE
7:00h - Café da manhã
9:30h às 15:30h - Passeio na Praia do Forte em ônibus ar condicionado com guia turístico (almoço livre)
21:00h JANTAR DE ENCERRAMENTO
Jantar de encerramento no deck da piscina (incluso) com animação de uma Drag Queen
Dia 6-05 - DESPEDIDA - FICAREMOS COM SAUDADES
A partir de 7:00h - Café da manhã
Transfer convidados aeroporto x hotel (feito pelo próprio hotel em micro ônibus que saem do aeroporto de 2 em 2 horas gratuito)
QUANTO CUSTARÁ A SUA ESTADA DE 03 DIAS NA BAHIA
Preço por pessoa: R$ 560,00 (quinhentos e sessenta reais) que pode ser parcelado em até 6 vezes pelo cartão sendo que o último pagamento não pode ultrapassar março de 2012.
Está incluso no preço:

• Taxa de inscrição

• 3 diárias no hotel Sol Bahia com café da manhã em apto duplo ou triplo

• 3 bailes com jantar e bebidas não alcoólicas

• City tour

• Passeio a Praia do Forte
OBS: Aos que quiserem chegar antes ou ir embora depois, o hotel disponibiliza o mesmo preço pago no encontro.
FICHA DE INSCRIÇÃO
Nome: ____________________________________________________________
CPF: ________________________________
RG: __________________________________
E-mail:__________________________________________________________
Endereço:________________________________________________________
Cidade: ___________________________UF: __________
CEP:_______________________
Telefone: ( ) ______________________________________________
Associação a qual pertence _______________________________________________
Portador ( ) Familiar ( ) Cuidador ( ) Outros ( ) ________________________________
Tipo de apto: duplo ( ) triplo( )
Data da chegada: _____/_____/______
Data do retorno: _____/_____/______
Site do Hotel: www.solexpress.com.br
Nosso e-mail: iiencontroba@gmail.com
Telefones: (71) 3487-2577 - Gruparkinson-Ba
(71) 8887-7415 (Ana Florence) / 71- 81316956 (Genário)

Postado por Regina Pereira
0 comentários Links para esta postagem

Marcadores: II ENC LAZER


















Legislador diz que as células-tronco ajudaram



Hardcastle tentou terapia para tratar a sua Esclerose Múltipla
December 3, 2011 - O representante estadual Rick Hardcastle, R-Vernon, participou de uma rodada recente de tratamento com células-tronco adultas autólogas para ajudar na sua esclerose múltipla, semelhante ao que o governador Rick Perry havia feito em julho.
Embora as células-tronco não sejam embrionárias, os médicos os EUA ainda estão céticos do procedimento, porque ainda não é aprovado pela Food and Drug Administration.
Células-tronco adultas são tomadas a partir de gordura do paciente, enviadas para um laboratório onde são desenvolvidas e, em seguida reintroduzidas no paciente através de terapia intravenosa.
Os tratamentos são usados para tratar pacientes com doenças auto-imunes como a esclerose múltipla, fibromialgia, doença de Crohn, mal de Parkinson e doença pulmonar obstrutiva crônica.
Hardcastle foi diagnosticado com esclerose múltipla há quase 10 anos atrás e disse várias vezes que os tratamentos trabalharam fenomenalmente para ele
"Estou andando sobre a água e quase à prova de balas", disse Hardcastle em um cassino em Las Vegas, onde foi com sua esposa para a Final Nacional de Rodeio. "Desde que eu fiz o terceiro tratamento, eu pesquei em rio no Alasca. Tenho andado subindo e descendo escadas sem ter que agarrar o corrimão como um tonto. Tem sido fenomenal até agora."
Hardcastle disse que apenas ter o equilíbrio é uma coisa incrível, porque desde que ele foi diagnosticado, o equilíbrio foi uma das primeiras coisas a ir. Ele falou longamente sobre a facilidade com que foi capaz de andar pelas escadas no evento de Las Vegas.
"Oito anos atrás, eu estava tendo que literalmente ... parar de passar por cima de uma barreira de concreto em um parque de estacionamento. Agora eu atravesso isso, como eu fazia 20 anos atrás", disse ele.
Hardcastle disse que o tratamento é essencialmente o mesmo que as pessoas têm procurado na Colômbia, Costa Rica e Coréia nos últimos 10 anos. Em alguns lugares os EUA já oferecem o tratamento, tornando-o mais acessível do que nunca.
A FDA não aprovou o procedimento ainda, mas a agência não o desaprovou tampouco.
"Sob as leis do Texas e federais, não é proibido porque é semelhante a salvar o seu próprio sangue - tendo o seu próprio sangue para reutilização durante a cirurgia - porque é seu", disse Hardcastle. "Não existem medicamentos de fora ou células-tronco incluídos no tratamento."
Terapia com células estaminais autólogas é caro.
"Você está falando de um tratamento básico, apenas o tratamento de uma só sessão vai custar-lhe o total de 25.000 dólares", disse Hardcastle.
Ele disse que está tentando descobrir como ajudar as pessoas a pagar por tratamentos se eles já estão com a deficiência ou não têm a capacidade de pagá-lo.
Ele disse que planos de pagamento para os pacientes também estão em estudo.
Ser capaz de dizer diante de um paciente que eles vão ter que pagar e ser capaz de ter o tratamento com um plano de pagamento seria melhor.
Hardcastle também está trabalhando com companhias de seguros para obter pelo menos parte do tratamento aprovado e pago pelas companhias.
"Eu não conheço ninguém com qualquer tipo de doença auto-imune que não iria gastar 25 mil dólares para ficar melhor", disse Hardcastle. "Como você coloca um preço sobre o fato de que eu posso ir procurar um emprego de verdade agora como um representante do estado de se aposentar e trabalhar de novo aos 56 anos ao invés de apenas ficar sentado ao redor da casa sentindo pena de mim mesmo?"
Hardcastle disse que os médicos da área mostraram grande interesse em serem capazes de realizar os tratamentos como terapias alternativas em seus consultórios. O plano seria para os pacientes visitarem seu neurologista local para que fosse a gordura extraída, enviada ao laboratório para ser cultivada e aumentar as células-tronco, em seguida, enviar as células-tronco de volta ao consultório para serem administradas através de terapia IV.
"Estou tentando não parecer muito animado porque para uma em cada cinco pessoas, ela não funciona. Ela não dá resultados fenomenais. Ela ainda vai ter alguns resultados, mas eles não vão ser fenomenais.
"Portanto, não é uma cura milagrosa por nenhum estiramento da imaginação, mas é um tratamento que funciona."
Ele disse, por exemplo, que uma das mulheres que receberam os tratamentos, ao mesmo tempo que não viu resultados fenomenais, teve algumas complicações graves e acredita que aos poucos ela vai ser ajudada.
Ele disse que um outro homem que assumiu o tratamento de mal de Parkinson, teve experiência ainda melhor que a dele.
Hardcastle disse que suas mãos já não tremem - uma benção que qualquer pessoa com Parkinson nunca poderia ser grata o suficiente.
Hardcastle disse que o procedimento mudou-se para Norte do Texas, mais o custo pode ser via online.
"Os dólares são uma espécie irrelevante comparado com o que estamos pagando para a medicina normal, e em comparação com o fato de que nós começamos a nos sentir muito melhores para que possamos realmente ir fazer nosso trabalho", disse ele.
Hardcastle falou sobre as lutas enfrentadas por muitas pessoas com doenças auto-imunes, dizendo que a família inteira se adapta para ajudá-lo através do tempo e, desde hoje, sem mais agravo de sua doença.
Ele disse que este ano, passou pela Ação de Graças como um campeão, brincando no chão e na rua com seus netos.
Hardcastle disse ter MS por tanto tempo, que ele construiu sua vida em volta para não exacerbar-se, então está fora de forma, mas ele está se exercitando regularmente e gosta de caminhar todas as manhãs.
"Não foi feito nada muito bem visto, e não cresceu todo o cabelo ainda (ainda não caiu a ficha)", disse brincando Hardcastle.
Ele disse que os médicos não estão vendendo os tratamentos como uma cura para qualquer doença ou distúrbio, mas os vendem como tratamento para uma ampla gama de doenças.
"Meu objetivo é torná-lo mais disponível para a pessoa comum no Texas ... que inclui receber companhias de seguros para decidir o que vão pagar e se há médicos disponíveis, que estão dispostos a fazê-lo (já que) não há controvérsia nele porque são suas próprias células-tronco." (em inglês e lembre-se: tradutor é traidor) Fonte: Times Record News

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Hélio Schwartsman 01/12/2011 - 07h0


A vingança dos vermes

Um dos maiores feitos teóricos da medicina foi a constatação de que doenças são provocadas por germes. Foi a partir daí que a arte de Esculápio se tornou científica e puderam surgir cuidados tão básicos como a antissepsia e drogas tão miraculosas como os antibióticos. O número de vidas salvas por essa realização acadêmica é astronômico. Não fosse por ela a Terra dificilmente teria chegado à marca dos 7 bilhões de habitantes.
O mundo, entretanto, é um lugar mais complicado do que sugerem nossas intuições e mesmo nossas melhores teorias. O biólogo Rob Dunn, da Universidade Estadual da Carolina do Norte, lançou há pouco "The Wild Life of Our Bodies: Predators, Parasites and Partners That Shape Who We Are Today" (a vida selvagem de nossos corpos: predadores, parasitas e parceiros que moldaram o que somos hoje). Trata-se de uma obra provocante, em que o autor, como bom ecólogo, mostra que a teoria dos germes, em que pese seus inegáveis sucessos, é apenas parte da história. Na verdade, nossa obsessão em criar ambientes livres de micróbios pode estar na origem do aumento da prevalência de várias doenças e até no surgimento de algumas novas.
O grande problema, sustenta Dunn, é que sempre pensamos o corpo humano como uma entidade à parte, mas, em biologia, as coisas só fazem sentido quando compreendidas na inteireza de suas relações com o meio ambiente, em especial a interação com outras espécies. É só agora que estamos pensando o homem como uma peça nesse grande quebra-cabeças, e os resultados são surpreendentes.
Comecemos com um pouco de epidemiologia. Até aqui, a tendência observada nos países ricos tem sido a de paulatino aumento da expectativa de vida, puxado pela redução da morbidade e da mortalidade de várias doenças, notadamente as infecciosas. De algumas décadas para cá, entretanto, temos verificado nas nações mais desenvolvidas um importante aumento na prevalência de moléstias como obesidade, diabetes, alergias, lúpus, artrite reumatoide, esquizofrenia, autismo e doença de Crohn, entre muitas outras. Já há quem prognostique que, nos EUA, as próximas gerações viverão menos anos que as atuais, e com pior qualidade.
A pergunta é: Por quê? O que está acontecendo? Vários elementos da vida moderna como pesticidas, poluição do ar e até vacinas já foram apontados como responsáveis, mas nada muito conclusivo contra eles foi encontrado.
A hipótese de Dunn é que, ao perseguir implacavelmente e destruir todos os micróbios que nos cercam talvez tenhamos, numa espécie de fogo amigo, atingido microrganismos aliados, que teriam um papel importante (e ainda pouco conhecido) para o funcionamento correto de nosso sistema imunológico. Sem a presença desses germes, não conseguimos nos defender adequadamente de patógenos ou, pior, nosso sistema imune entra em parafuso e passa atacar o próprio corpo.
Uma elegante sugestão de que este pode ser o caso vem da doença de Crohn, na qual as células de defesa se voltam contra o trato intestinal do paciente. Ela é caracterizada por dores abdominais, rashes cutâneos e artrite. Nos casos mais graves, o paciente passa literalmente anos vomitando e se contorcendo de cólicas. A perda de peso decorrente pode levar à desnutrição. Nessas situações, o sujeito geralmente para de trabalhar e sua vida se torna um inferno.
Nos EUA, já há um pequeno exército de 600 mil pacientes de Crohn. No Terceiro Mundo, a moléstia é praticamente desconhecida, com exceção de uns poucos casos nas camadas populacionais mais privilegiadas.
Seguindo a teoria do germes, Robert Debré propôs que a doença de Crohn seria provocada por certas bactérias que vivem em geladeiras. Há evidências, embora não conclusivas, a apoiar essa tese. Mas, nos anos 90, Joel Weinstock, da Universidade de Iowa, resolveu tentar outra abordagem. Imaginou que a moléstia poderia ser causada, não pela presença de microrganismos, mas pela ausência. Não se sabe bem como, em 1999, o comitê de ética da universidade autorizou Weinstock a testar sua ideia radical. O pesquisador recrutou 29 pacientes de Crohn e os infestou com vermes Trichuris trichiura, que causam a tricuríase. Vinte e quatro semanas depois, dos 25 pacientes que se mantinham no estudo, todos menos um estavam melhor e 21 tinham entrado em remissão, isto é, estavam livres dos sintomas.
O sucesso inspirou outros cientistas, que testaram vermes para uma série de moléstias tanto em modelos animais como humanos. Há indícios de que eles possam ser úteis no diabetes, na esclerose múltipla e até em doenças cardíacas.
É claro que tudo isso ainda é muito incipiente e precisa ser confirmado por mais pesquisas, mas não há muita dúvida de que é um campo a explorar.
O livro de Dunn não se limita, porém, a vermes e à doença de Crohn. Ao contrário, é uma obra ampla, muito bem escrita e cheia de surpresas, ao descrever as complexas interações entre o homem e os demais seres vivos que habitam suas entranhas e seu entorno.
Ele nos conta, por exemplo, que devemos esquecer tudo o que aprendemos na escola sobre o apêndice. Ao que parece, não se trata de um órgão vestigial, que estaria desaparecendo por ter-se tornado evolutivamente inútil. Ao contrário, ele é mais desenvolvido nos seres humanos do que em seus parentes primatas. Seria uma espécie de berçário das bactérias que nos auxiliam no processo de digestão. Ali elas seriam mantidas num lugar seguro para recolonizar o intestino depois de episódios de diarreia severa, como os provocados pela cólera.
E o próprio papel dessas bactérias é, hoje, ambíguo. É verdade que elas são uma boa parte de nós. Constituem algo como 10% de nosso peso e são cem vezes mais numerosas que as células de nosso corpo, isto é, as que carregam o nosso DNA. No passado darwiniano, foram também bastante úteis, nos fazendo aproveitar 30% mais das calorias que ingerimos. Mas, hoje, com a farta oferta de alimentos, fazem parte do coquetel que contribui para a epidemia de obesidade. Acabar com elas tomando doses maciças de antibiótico pode até funcionar no curto prazo, mas, como vimos no caso da doença de Crohn, é bastante provável que essa dieta antibacteriana resulte em novos e desconhecidos problemas.
Não pretendo, porém, estragar todas as deliciosas (e às vezes nojentas) surpresas do livro. Apenas para estimular a curiosidade do leitor, adianto que ele mostra como patógenos nos fizeram perder o pelo e nos tornaram xenófobos e como cobras contribuíram para o desenvolvimento de nossa visão.
"The Wild Life" é uma leitura estimulante e que, ao mesmo tempo, serve como poderoso "reality check" (controle de realidade), ao mostrar que mesmo nossas mais exitosas teorias médicas, como a dos germes, precisam de vez em quando ser reavaliadas e reinterpretadas, mesmo que jamais venham a ser abandonadas. É a ciência em movimento.

hélio schwartsman 01/12/2011 - 07h00

fONTE: fOLHA.COM




Dose de analgésico acima do recomendado leva a lesão no fígado

Poucos remédios para dor parecem mais inocentes do que o paracetamol (mais conhecido como Tylenol, um de seus nomes comerciais), mas exagerar um pouco ao tomar a droga de modo contínuo pode levar a danos severos no fígado, e até à morte.
O dado vem de um levantamento com pacientes no Reino Unido, país que, junto com os EUA, tem um problema sério com overdoses de paracetamol --entre os britânicos, o medicamento é a principal causa de falência hepática (do fígado) repentina. No Brasil, há poucos relatos sobre o problema.
Editoria de Arte/Folhapress
"Nos EUA, no Reino Unido e em alguns outros países da Europa, a gente vê que a maioria desses casos tem a ver com tentativas de suicídio [nas quais a pessoa toma uma dose única muito alta do medicamento]", explica a médica Edna Strauss, da diretoria da Sociedade Brasileira de Hepatologia.

A nova pesquisa, publicada na revista especializada "British Journal of Clinical Pharmacology", avaliou quase 700 pacientes que foram parar na Unidade Escocesa de Transplante de Fígado, em Edimburgo, com lesões hepáticas severas ligadas ao uso do medicamento.
UM QUARTO
De fato, a maioria deles tinha tomado doses altas de um só golpe, mas uma minoria significativa (um quarto dos pacientes) tomou o que os pesquisadores, liderados por Darren Craig, chamam de "staggered overdose" --algo que poderia ser traduzido como "overdose a conta-gotas".
A maioria dos pacientes nesse grupo usava o medicamento para alívio de dores comuns, como as abdominais, musculares, de cabeça e de dentes, por exemplo.
O que os pesquisadores viram é que, embora a dosagem usada por esses pacientes variasse, e que o total de paracetamol ingerido fosse inferior ao verificado nas overdoses "clássicas", a média diária ainda assim ficava acima de 4 g por paciente (cada comprimido costuma ter entre 0,5 g e 0,75 g no Brasil.)
E essa é justamente a dose considerada perigosa hoje pelos hepatologistas. Acima dela, o organismo não consegue mais "limpar" resíduos perigosos derivados do paracetamol, o que acaba destruindo as células do fígado.
"Sobre a toxicidade do paracetamol, não se pode dizer que o trabalho inova, esse valor já está bem estipulado na literatura", diz Strauss.

Para a hepatologista, a novidade do trabalho está em demonstrar que, nesse grupo da overdose "escalonada", o risco de complicações e de morte acaba sendo maior.
Para os autores da pesquisa, isso ocorre porque o dano vai acontecendo de forma mais lenta, devagar e sempre, e é mais difícil de detectar.
Em julho, um painel de consultores da FDA (agência que regula fármacos e alimentos nos EUA) recomendou mudanças nas instruções dadas aos pais quando eles ministram paracetamol aos filhos. O objetivo é justamente minimizar o risco de superdosagens perigosas.
Para Strauss, até pacientes com problemas no fígado podem receber a droga, desde que na dose correta.
Folha.com

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

ALZHEIMER: A estimulação cerebral profunda "reverte" a doença

Cientistas no Canadá levantaram uma perspectiva tentadora - revertendo a doença de Alzheimer.




Encolhimento do cérebro, função em declínio e perda de memória havia sido pensado para ser irreversível.
Eles usaram uma técnica conhecida como estimulação cerebral profunda - a aplicação de eletricidade diretamente para as regiões do cérebro. Em dois pacientes, o centro de memória do cérebro inverteu seu declínio esperado e realmente cresceu.
Estimulação cerebral profunda tem sido utilizado em dezenas de milhares de pacientes com Parkinson, bem como tendo um papel emergente na síndrome de Tourette e depressão.
No entanto, precisamente como isso funciona ainda é desconhecida.
O procedimento é feito sob anestesia local. Uma ressonância magnética identifica o alvo dentro do cérebro. A cabeça é mantida em uma posição fixa, uma pequena região do cérebro é exposto e eletrodos finos são posicionados próximos à região do cérebro a ser estimulada.
Os eletrodos são ligados a uma bateria que é implantado sob a pele próximo à clavícula.
Prof John Stein, da Universidade de Oxford, disse: "A maioria das pessoas diria que não sei por que isso funciona."
Sua teoria é que, em Parkinson, as células do cérebro ficam presos em um padrão de descargas elétricas, seguido por silêncios, então explode e silêncios e assim por diante. Freqüência de estimulação contínua de alta, em seguida, interrompe o ritmo. No entanto, ele reconhece que "nem todos vão aceitar essa conta".


Mistério


Como a estimulação cerebral profunda pode ter um papel na doença de Alzheimer é ainda mais de um desconhecido.
Um paciente com a cirurgia ter Parkinson implantar eletrodos na doença de Alzheimer, o hipocampo é uma das primeiras regiões a encolher. É o centro de memória convertendo memória de curto prazo para memória a longo prazo. Danos leva a alguns dos primeiros sintomas da doença de Alzheimer - perda de memória e desorientação.
Pela fase tardia de Alzheimer células cerebrais estão mortas ou a morrer em todo o território do cérebro.
O estudo da Universidade de Toronto levou seis pacientes com a doença. Estimulação cerebral profunda foi aplicada ao fórnix - uma parte do cérebro que passa mensagens para o hipocampo.
O pesquisador Prof Andres Lozano, disse que seria de esperar o hipocampo a encolher por cinco por cento em média em um ano em pacientes com Alzheimer.
Após 12 meses de estimulação, ele disse que um paciente teve um aumento de cinco por cento e outro teve um aumento de oito por cento.
Continue lendo a história principal
"Sua doença de Alzheimer foi revertida "
Andres Lozano
Universidade de Toronto


"Como um grande negócio é de 8%? É enorme. Nós nunca vimos o hipocampo crescer na doença de Alzheimer em qualquer circunstância. Foi uma descoberta surpreendente para nós", disse ele à BBC.


"Esta é a primeira vez que a estimulação cerebral em um ser humano tem se mostrado a crescer uma área de seu cérebro.
Quando ele veio para os sintomas, ele disse: "Em um dos pacientes, ele é melhor após a estimulação de um ano do que quando começou, então sua Alzheimer foi revertida, se quiser."


Primeiros dias


Os resultados foram apresentados na Society for Neuroscience conferência em novembro, mas eles ainda têm de ser publicado em uma revista acadêmica.
Prof Lozano disse que experimentos em animais mostraram que este tipo de estimulação podem criar novas células nervosas.
Prof Stein disse que estava "muito encorajados" pelos resultados iniciais, mas a chave estaria mostrando "se a sua memória melhorou".


"Não é inesperado que pode haver algum salvador do cérebro que está morrendo, se você pode mantê-lo ir", acrescentou.


Milhares de pacientes com Parkinson tiveram estimulação cerebral profunda. Dr. Marie Janson, da Research Alzheimer UK, disse que "seria muito significativo" se você pudesse reverter o encolhimento do cérebro e que "se você pudesse retardar o aparecimento da doença de Alzheimer há cinco anos você iria reduzir pela metade o número de pessoas afetadas".
Para testar se isso realmente está trabalhando, ao invés de ser um resultado acaso, os pesquisadores vão realizar um teste maior.
Prof Lozano diz que por agora: "uma palavra de cautela é apropriado, estes são dias muito cedo e um número muito pequeno de pacientes estão envolvidos."
A partir de abril estão com o objetivo de matricular cerca de 50 doentes com Alzheimer. Todos serão implantados com eletrodos, mas eles vão ser ligado em apenas metade deles. Os pesquisadores, então, ver se há alguma diferença no hipocampo entre os dois grupos.
Eles estão procurando especificamente em pacientes com Alzheimer moderado por causa dos seis pacientes com a condição, foi apenas a dois com o mais suave que os sintomas melhoraram.
Uma teoria que eles estão considerando é que depois de um certo nível de danos pacientes chegar a um ponto sem retorno.
Fonte: BBC. uk.

PROGRAMA ORIENTE-SE - TV SÉCULO 21

GOSTARIA DE PARABENIZAR TODA A EQUIPE DO PROGRAMA ORIENTE-SE - PRODUÇÃO, REPORTAGEM, EDIÇÃO, APRESENTAÇÃO (RENATA ADMIRAL), CONVIDADOS, ENFIM, TODOS QUE SE ENVOLVERAM PARA LEVAR AOS TELESPECTADORES UM PROGRAMA DE ALTÍSSIMO NÍVEL SOBRE  PARKINSON. OS PROFISSIONAIS PRESENTES ABORDARAM OS TEMAS E DIRIMIRAM DÚVIDAS COM LINGUAGEM SIMPLES, ACESSÍVEL A TODOS OS NÍVEIS.
IMPORTANTE O DESTAQUE DADO À ASSOCIAÇÃO CAMPINAS PARKINSON (ACP) E
SEUS ASSOCIADOS, MOSTRANDO AS DIVERSAS FORMAS POSSÍVEIS DE, SENÃO SUPERAR, PELO MENOS ILUDIR O "INIMIGO" ATRAVÉS DE VÁRIAS FORMAS DE SUPERAÇÕES PESSOAIS. 
ESSE É O VERDADEIRO PAPEL DA TELEVISÃO: INFORMAR E EDUCAR. PARABÉNS! 

domingo, 27 de novembro de 2011

Filme de terror faz cérebro reviver experiências ruins

As situações de estresse agudo, como assistir a um filme de terror, levam o cérebro a lembrar de experiências ruins e a reorganizar seu modo de funcionamento, afirma um grupo de pesquisadores em artigo na revista "Science" desta semana.


"O estresse agudo altera a forma como nosso cérebro funciona. Esta mudança de estado cerebral pode ser entendida como uma redistribuição estratégica dos recursos que são vitais quando a sobrevivência está em jogo", disse o coordenador do estudo, Erno Hermans, da Universidade de Nova York.

Os cientistas expuseram 80 voluntários a materiais cinematográficos que causavam aversão e outros do gênero para comparar as reações cerebrais e analisar os compostos salivares em cada uma das situações.

Quando o cérebro se altera, os sentidos se aguçam e o medo cria um estado de alerta que fortalece as lembranças das experiências estressantes, além de prejudicar nossa capacidade de análise.

Este tipo de pesquisa já havia sido realizado anteriormente com animais expostos a estresse agudo.

INTERFERÊNCIA

As reações neuroquímicas liberam vários hormônios e neurotransmissores que são capazes de alterar algumas propriedades celulares e de grande escala em regiões cerebrais.

A ativação do eixo HPA (hipotálamo-hipófise-adrenal), que resulta no aumento da liberação sistêmica dos corticosteroides, é o selo distintivo da resposta à tensão. No entanto, a equipe de Hermans concluiu que o bloqueio do cortisol não influenciou na reorganização da rede cerebral.

"Mostramos que a atividade dos neurotransmissores na primeira fase de resposta à tensão provoca uma reorganização de recursos neuronais. Estes estabelecem uma rede que contém áreas envolvidas na reorientação da atenção, no aumento do alerta perceptivo e no controle automático dos hormônios", acrescentou.

Outra das conclusões do estudo é que as situações de estresse agudo tornam difícil pensar lentamente, enquanto se ativam no cérebro as regiões implicadas na atenção e no alerta, assim como no sistema hormonal.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

REPORTAGEM SOBRE PARKINSON COM PARKINSONIANOS DE CAMPINAS

Uma reportagem na TV SÉCULO  21.
PROGRAMA: ORIENTE-SE (AO VIVO)
ASSUNTO: DOENÇA DE PARKINSON
DATA: 26 DE NOVEMBRO DE 2011
HORÁRIO: DE 09:30 ÀS 11:30 HS

Serão apresentadas entrevistas realizadas com parkinsonianos vinculados
à Associação Campinas Parkinson (ACP), falando sobre suas atividades
diárias, seus passatempos, suas histórias de vida.
Entrevistados:
Dalva Molnar, Presidente da ACP
Omar Rodrigues, Vice Presidente da ACP
Iris Scarabucci
Alcides Maiorino
Rita Maiorino
George Shepard

link das retransmissoras da TV


      http://www.tvseculo21.org.br/tv/Default.aspx?

link para assistir ao vivo

      http://www.tvseculo21.org.br/tv/?









quinta-feira, 24 de novembro de 2011



17/11/2011
às 20:29 \ Sem categoria

Mais um passo

Células- tronco embrionárias humanas formam neurônios produtores de dopamina em modelos de Parkinsanimais on
Com o envelhecimento da população a incidência de doenças da “maior idade”- ou melhor idade- vem aumentando substancialmente. A doença de Parkinson (DP) é uma delas. Segundo estimativas, nos Estados Unidos há 1 milhão de pessoas vítimas dessa doença – embora esses dados não sejam conhecidos com precisão para a nossa população. A idade de início geralmente se dá após os 50 anos, mas cerca de 5% das pessoas com DP tem menos de 40 anos. A DP é causada pela morte dos neurônios dopaminérgicos (ND), produtores de dopamina. Uma pesquisa recente coordenada pelo Dr. Lorens Studer, com células-tronco embrionárias (publicada na revista Nature de novembro) revela um avanço muito importante.
Quais são as consequências da perda dos neurônios dopaminérgicos?

A morte das células nervosas produtoras de dopamina ou neurônios dopaminérgicos localizadas em uma região do cérebro chamada de substantia nigra causa tremores, rigidez, lentidão de movimentos que caracterizam a DP. Alguns pacientes também apresentam cansaço, dor e depressão que podem piorar com a progressão da doença. Os tratamentos atuais são drogas que aumentam os níveis de dopamina. Em alguns pacientes são implantados eletrodos no cérebro que transmitem impulsos elétricos para aliviar as dificuldades de movimento. Entretanto todos esses procedimentos têm uma eficiência limitada e, portanto, a busca de tratamentos efetivos tem sido objeto de muitas pesquisas.
Os avanços com as células-tronco
Células-tronco embrionárias (CTE) ou pluripotentes têm sido objeto de muitas pesquisas científicas por terem o potencial de diferenciar-se em qualquer tecido e serem uma fonte promissora em medicina regenerativa de doenças que comprometem neurônios ou células nervosas. É o caso da doença de Parkinson. Já foi possível demonstrar in vitro – no laboratório – que CTE conseguem se diferenciar em ND, mas com uma eficiência limitada. Uma pesquisa recente, publicada na revista Nature ( 6 de novembro), coordenada pelo cientista Lorens Studer em Nova York (The Memorial Sloan-Kettering Cancer Centre) mostram resultados promissores usando uma nova estratégia para obter neurônios dopaminérgicos a partir de CTE. Essas células conseguiram ter uma longa sobrevida ao serem enxertadas no cérebro de camundongos, ratos e macacos com DP e melhorar o quadro clínico de camundongos e ratos com DP. Trata-se de mais um grande passo.
Um dos grandes desafios é produzir a célula certa
De acordo com os cientistas responsáveis por essa nova pesquisa coordenada pelo Dr. Studer, as células que haviam sido obtidas no passado produziam alguma dopamina, mas não o suficiente. Os efeitos clínicos em modelos animais eram limitados. Não se conheciam quais eram os sinais ou os segredos para induzir os neurônios derivados de CTE a serem eficientes neurônios dopaminérgicos. De acordo com esse novo estudo, os pesquisadores descobriram qual era o segredo, quais eram as moléculas responsáveis por dar o sinal certo para as células se diferenciarem em neurônios produtores de grande quantidade de dopamina.
O próximo passo eram os experimentos in vivo”
Uma vez obtidos os ND – o próximo passo era observar seu efeito em modelos animais, in vivo”. Para isso transplantaram essas células em camundongos e ratos nos quais havia sido induzida a DP. Nos dois modelos observaram que os ND obtidos no laboratório enxertaram-se no cérebro dos animais, permanecendo ali de maneira estável um longo tempo após o transplante. E a outra boa notícia é que os animais apresentaram melhora clínica.
Qual era o outro desafio?
O próximo desafio era conseguir obter essas células em grandes quantidades, uma condição indispensável se quisermos fazer terapias em humanos. E esse foi mais um importante resultado desse grupo. Eles conseguiram cultivar e obter quantidades suficientes para injetar no cérebro de dois macacos (macacos Rhesus), também com DP adquirida. Para poder localizar as células depois do enxerto elas foram marcadas com uma proteína fluorescente (GFP). Um mês depois do transplante, lá estavam elas, para felicidade dos cientistas e, é claro, de todos aqueles que torcem pelo sucesso dessas pesquisas.
Em resumo
A grande novidade desse trabalho é que os pesquisadores aparentemente descobriram a fórmula para produzir neurônios dopaminérgicos eficientes, mostraram que essas células permanecem no cérebro dos animais injetados um longo tempo depois do transplante e melhoram o quadro clínico em camundongos e ratos com doença de Parkinson induzida. Além disso, não houve formação de tumores ou aumento de crescimento neuronal nos três modelos animais injetados. Ainda serão necessárias novas pesquisas antes de iniciar-se ensaios clínicos em seres humanos. Mas certamente foi dado mais um passo muito importante. Além disso elas mostram – mais uma vez – a importância da luta para poder aprovar as pesquisas com CTE. Os resultados começam a aparecer.
Por Mayana Zatz

Aposta no setor de biotecnologia: A guerra das Doenças Neurodegenerativas

Por Stock Scribbler.
November 22, 2011 | Enquanto a Europa se desintegra e a economia dos EUA claudica, sofremos sob o baixo crédito de nossa sociedade cada vez mais globalizada. A tecnologia moderna ligou-nos de muitas maneiras, mas tornando indústrias após indústrias obsoletas no processo. O sistema financeiro, tal como o conhecemos, está se deteriorando, e ninguém tem uma solução definitiva. No entanto, há sempre exceções à regra, e em termos gerais, os cuidados com saúde é que são exceção. Apesar de cortes corporativos e burocráticos, o setor da biotecnologia deve permanecer competitivo e inelástico, enquanto outras indústrias aguentam a pressão do tempo.

Somos ainda mortais, e ainda ficamos doentes. A autêntica fonte da juventude escapa à raça humana. Podemos fazer transplantes de órgãos, realizar a cirurgias a laser e prescrever remédios milagrosos à esquerda e direita, mas o tratamento de algumas doenças sem efeitos colaterais importantes continua a mistificar o mundo médico. O exemplo óbvio é o câncer em todas as suas formas. Mas, e quanto a doenças neurodegenerativas como a doença de Parkinson e de Alzheimer?

Seis milhões de americanos sofrem destas doenças fatais e a doença de parkinson, sozinha, representa um mercado global de $ 3 bilhões de dólares. Segundo o Harvard NeuroDiscovery Center, "Porque as doenças neurodegenerativas se estabelecem principalmente do meio ao final de vida, a incidência esperada é subir com o envelhecimento da população. (Em 2030, 1 em cada 5 americanos terão mais de 65 anos de idade.) Se não for controlada daqui a 30 anos, mais de 12 milhões de americanos vão sofrer de doenças neurodegenerativas. Encontrar tratamentos e curas para doenças neurodegenerativas é uma meta de urgência cada vez maior."

Parte desse desafio pode ser cumprida, pois várias empresas atualmente clamam por descobertas na pesquisa para tratamento da doença de parkinson. Estas empresas de biotecnologia não estão apenas no caminho para salvar vidas com as fases de ensaios clínicos para novos fármacos. Eles também estão aumentando o valor dos acionistas e ajudando a manter um setor inteiro de entidades de capital aberto. Aqui estão alguns dos contendores:

É claro, grandes laboratórios como Novartis AG (NVS) e Sanofi-Aventis (SNY) estão no jogo. O Comtan (entacapone) medicação da Novartis, é o rolo compressor suíço (...)

A Sanofi-Aventis, uma das cinco maiores empresas farmacêuticas existentes, está trabalhando no tratamento dos sintomas de parkinson. O sistema nervoso central como uma de suas seis grandes áreas de foco, esta empresa com sede em Paris está pronta para capitalizar sobre as populações em envelhecimentodos países desenvolvidos. (...)

A Valeant Pharmaceuticals International (VRX) também está na briga de empresas com o Xilopar - uma terapia prescrita uma vez por dia com suplemento oral para pacientes com parkinson tratados com levodopa / carbidopa. (...)

Amarantus Biosciences Inc. (OTC-AMBS) e Addex Pharmaceuticals (SIX-ADXN) são também empresas no páreo financiadas em parte por concessões da Michael J. Fox Foundation for parkinson Research. Esse dinheiro para investigação, não só fornece a essas empresas um endosso de ouro, mas talvez as ferramentas para descobrir o próximo tratamento revolucionário.

Desde o final de março, a empresa de modulação alostérica Addex Pharmaceuticals está de joelhos envolvida em ensaios clínicos de Fase II para avaliar o dipraglurant em pacientes de parkinson e espera resultados no próximo ano. Isto é porque a terapêutica líder em parkinson, a levodopa, induz a uma desordem de movimento ainda mais debilitante conhecida como discinesia induzida por levodopa - (PD LID). (...)

A Amarantus Biosciences, Inc., uma biotecnologia de quatro anos da Califórnia, é talvez ainda mais emocionante, com ações subindo. A empresa atualmente é comercializada na Bolsa de Valores EUA (...) com uma capitalização de mercado de 9,72 milhão dólares, mas os números devem subir com o desenvolvimento clínico de "nova proteína potente" por parte da Amarantus. O tratamento é chamado MANF e é dirigida à morte celular (apoptose), responsável pela doença de parkinson.

A verdadeira beleza da MANF patenteada é que poderia resolver uma série de outras grandes doenças relacionadas com a apoptose, incluindo a doença de Alzheimer, epilepsia, degeneração macular e lesão cerebral traumática. O CEO Gerald declarou em notícias anteriores que AMBS pretende continuar o arquivamento de patentes e construindo uma forte carteira de propriedade intelectual de seu estoque de 88 linhagens de células chamado de "linhas celulares PhenoGuard".

Apesar do estado alarmante da macro economia de outros setores, todas as empresas mencionadas acima têm objetivos claros e objetivos. Eles continuam a ser relevantes e necessários na era tecnológica pós-moderna. O risco é suficientemente baixo (assimétrico) e o potencial de sustentabilidade a longo prazo é alto. Na medida em que este jornalista financeiro pode dizer, os investidores da saúde devem considerar seriamente aumentar investimentos no movimento de biotecnologia. (em inglês) Fonte: Seeking Alpha.
Obs.: Termos técnicos em inglês do mercado financeiro de capitais foram omitidos e/ou estão sujeitos a revisão.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Diário de bordo


Como gosto de viajar, sempre que puder dividirei experiências. Recentemente fui a Buenos Aires. Dei uma volta até o Tigre, uma festa maravilhosa na Casa Suteba. Comemorando casamento de amigos queridos. Afinal, nem só de Parkinson vive a humanidade. Catei "James" pelas mãos e fui. Foi maravilhosa a viagem, principalmente porque estava na companhia da minha filha, que mora longe de mim. Como eramos uma turma grande, pra começar ficamos todos num Hostel... divertidíssimo. Imaginem uma turma de 18 pessoas num Hostel?
Tudo em Buenos Aires me encanta mas, falo desses dois bairros que gosto muito. Tem lugares mil. Puerto Madero, Recoleta, Palermo .. .de outra vez, comentarei de outros bairros. Vamos em doses homeopáticas, ok? Senão, fica muito extenso.
San Telmo - Um bairro lindo e especial. .
San Telmo é o bairro mais antigo de Buenos  Aires. É conhecido como um bairro boêmio e por manter casas lindas em  estilo colonial.
No bairro de San Telmo existem muitos edifícios importantes por seu valor histórico e arquitetônico.

A partir do século XVIII a região recebeu grande contribuição dos jesuítas que construíram, sobre a
rua Humberto 1º, um complexo constituído pela igreja de Nossa Senhora de Bethlem, a Paróquia de San Pedro Telmo, uma das mais antigas da cidade, e o Museu Penitenciário Argentino Antonio Ballvé.

Encontramos também no bairro de San Telmo a escola Guillermo Rawson, onde funcionou a primeira escola de medicina de Buenos Aires, o museu Histórico  Nacional, e o museu de Arte Moderna de Buenos Aires, a igreja Dinamarquesa Presbiteriana, com tijolos aparentes do arquiteto Nielsen com influência neogótica e nórdica, a igreja Ortodoxa Russa, com altares trazidos de San Petersburgo no início do século XX, o Instituto Belgraniano e o Instituto de Estudos Históricos do Exército (antiga casa da moeda), o parque Lezama, que nos finais de semana se enche de barraquinhas e a praça Dorrego, que aos domingos serve de palco para uma famosa feira de antiguidades. A feira é uma atração maravilhosa.
Feira de antiguidades.

La Boca
É um  bairro onde viu nascer o tango, e oferece algumas  excelentes atrações a serem visitadas, a igreja  de  San Juan Evangelista e o famoso estádio de futebol da Argentina, O Boca Juniors. Conhecido como La Bombonera. É um bairro colorido, alegre, com muitos artistas. Não posso esquecer do museu de Belas Artes, museu de Cera, entre tantas outras atrações. Eu amo esse cantinho especial.

Amigos queridos  de Brasília e Buenos Aires

Caminito



Carla, (minha filha) euzinha, com dois amigos.

Sexo é a chave da felicidade para os idosos, diz pesquisa

Sexo é a chave da felicidade para os idosos, diz pesquisa - estudo mostra que 60% dos idosos que fazem sexo mais de uma vez por mês se dizem ‘muito felizes’.
Idosos com vida sexual ativa são mais satisfeitos no casamento e com a vida em geral (Stockbyte).
A frequência da atividade sexual está diretamente ligada à felicidade dos idosos, sugere estudo divulgado durante o Encontro Anual da Sociedade Americana de Gerontologia. Segundo a pesquisa, quanto mais ativa a vida sexual dos mais velhos, maiores são os níveis de bem-estar na vida e felicidade no casamento. O levantamento considerou as respostas de 238 pessoas com mais de 65 anos de idade. Elas foram questionadas sobre a frequência da atividade sexual , níveis de felicidade, situação financeira e de saúde. Os resultados mostraram que vida sexual ativa estava diretamente ligada à felicidade conjugal de ambos os sexos. De acordo com os dados, 60% dos idosos que faziam sexo mais de uma vez por mês se classificaram como "muito felizes", em comparação com 40% dos indivíduos que não tinham tido relação sexual nos últimos 12 meses. Ao serem questionados sobre a felicidade no casamento, 80% daqueles que faziam sexo com mais frequência disseram que estavam extremamente felizes - contra 59% dos que não tinham vida sexual ativa. “Ao destacarmos a relação entre sexo e felicidade, podemos desenvolver e organizar intervenções específicas na saúde sexual dos idosos, um segmento crescente da nossa população”, diz Adrienne Jackson, autora da análise e professora da Universidade Agrícola e Mecanica da Flórida, nos Estados Unidos. O estudo foi feito a partir de um levantamento da General Social Surveys - uma pesquisa de opinião pública que foi conduzida nacionalmente em 2004 com pessoas de mais de 18 anos de idade.

Amigos de Djavan confirmam a doença



Amigos de Djavan confirmaram, nesta sexta-feira (18), que o cantor está sofrendo do Mal de Parkinson.
Durante o lançamento de seu último álbum, boatos já diziam que Djavan poderia estar com essa doença, mas o cantor negou em todas as entrevistas que o assunto foi tocado.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Esta é a segunda doença neurodegenerativa mais comum, cerca de 150.000 pessoas sofrem de doença de Parkinson - em Espanha, embora os especialistas estimam que o número é realmente superior. Este é para aqueles diagnosticados. O número foi apresentado pelo Dr. Javier Pagonabarraga (neurologista do Hospital San Pau de Barcelona) para o X Seminário realizado em Sitges LUNDBECK e focado neste tipo de doença.
50/100.000 na Espanha afeta pessoas todos os anos, mas o grande problema é que muitos estão sendo tratados. E as expectativas são para essa condição aumenta quando se considera apenas a população acima de 65 anos as estimativas de prevalência na Europa Ocidental para 2030 indicam que 9.300.000 pacientes. Aumento da expectativa de vida e o envelhecimento da população motivou a disparar esses dados. Pagonabarraga acordo "nos últimos 20 anos mudou o curso da doença e aprenderam a perguntar aos pacientes melhor. Então, eles podem servir melhor". Comprometimento cognitivo envolve uma deterioração da qualidade de vida ao longo do tempo, o que resulta no desenvolvimento de demência, a fragmentação do sono, depressão, ansiedade, apatia e aparecimento de alucinações visuais. Para os especialistas "devemos insistir que Parkinson não é mais apenas um distúrbio de movimento". Detalhes dos mais recentes estudos indicam que 13,5% dos pacientes sofrem de algum transtorno do controle dos impulsos e só apenas 15% deve informar o seu médico. Em um período de dez anos 45% dos pacientes de Parkinson acabar por sofrer de uma demência. De acordo com Javier Pagonabarraga "para melhor atendimento ao paciente leva tempo e conhecimento. Você tem que ouvir atentamente e fazer uma busca sistemática de todos esses sintomas não-motores que afetam sua qualidade de vida." A idade média de início da doença de Parkinson é de cerca de 61 anos na Europa. Todos maior incidência é a 50/80 anos, mas, pelo menos, 25% dos pacientes têm menos de 60 anos e, possivelmente, entre 2 e 5% ainda não chegou a 40, de acordo com dados do (SEN Sociedade Espanhola de Neurologia). Quanto à distribuição de gênero, uma análise recente dos resultados de vários estudos (meta) analisaram o risco de desenvolver PD em relação ao sexo e descobriu que os homens têm uma incidência 1,5 vezes maior do que as mulheres.

OBSERVAÇÃO: INTERESSANTE!!!!!! PORQUE AO INVÉS DE PUBLICAREM ESSE TIPO DE NOTÍCIA, NÃO DIVULGAM O QUE A MEDICINA ESTÁ FAZENDO PARA DETER ESSA DEMÊNCIA? COMO SE  FOSSE  FÁCIL A GENTE CONVIVER COM ESSE MAL E AINDA SABERMOS QUE PODEREMOS FICAR DEMENTES.... ME POUPEM. QUEREMOS RESULTADOS.
NADA CONTRA A NOTÍCIA MAS  PRECISAMOS COBRAR DOS MÉDICOS E CIENTISTAS

     

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Adoçante só com recomendação médica.

Adoçante só com recomendação médica Clic Folha - MG - SAÚDE - 18/10/2011 Agência Estado Tatiana Piva São muitas as pessoas que usam adoçante no lugar do açúcar. Há quem siga recomendação médica para isso e há também quem tenha se acostumado a consumir o produto apesar do gosto diferente. Poucos, no entanto, sabem quais são os tipos de edulcorantes existentes, qual é a ingestão diária recomendada ou se a prática faz mesmo bem à saúde. Se depender das orientações da cartilha Adoçantes - Tire suas Dúvidas, recém-lançada pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres, Diet & Light (Abiad), o consumo do produto não faz mal algum. Embora tenha o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) e da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), especialistas recomendam cautela ao “acatar” todas as orientações constantes no material. “Adoçantes são produtos artificiais criados em laboratórios e que, não sendo naturais, podem causar alterações no organismo humano”, alerta a nutricionista Daniela Jobst, membro do Instituto de Medicina Funcional dos Estados Unidos e do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional
Fonte:Folha.com

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Para quem gosta de música , Festival SWU em Paulínia foi maravilhoso.
A Banda Playing for Change deu um show.  Sem falar em Peter Gabriel, Duran   Duran.
Como o Sr. James resolveu aliviar e me deixar Light dia 13, fui conferir. Me diverti muito.





Estudo descobre relação entre Parkinson e uso de solventes.

Um estudo norte-americano liga a doença de Parkinson com o solvente industrial tricloroetileno solvente (TCE). Pesquisadores, liderados pelo Dr. Samuel Goldman e Caroline Dr. Tanner, do Instituto de Parkinson em Sunnyvale, Califórnia, entrevistaram 99 pares de gêmeos. Em cada par, um dos gêmeos, que tinha o contato com solventes, adquiriram a doença de Parkinson e o outro não. A informação é do site NY Post. O estudo, publicado nesta segunda-feira (14), revelou que as pessoas regularmente expostas ao TCE - um agente comum em soluções de limpeza a seco, adesivos, tintas e produtos de limpeza do tapete - tinham seis vezes mais risco de desenvolver a doença de Parkinson. Embora a Food and Drug Administration proibiu o uso de TCE como um anestésico geral, desinfetante da pele em 1977, a substância ainda é usada como um agente desengordurante. O estudo foi o primeiro a relatar uma "associação significativa" entre o solvente e a doença de insoParkinson.Como resultado da investigação, os pesquisadores também consideraram que a exposição ao percloroetileno e tetracloreto de carbono tendeu para risco significativo de desenvolver a doença. "Nosso estudo confirma que os contaminantes ambientais comuns podem aumentar o risco de desenvolvimento de PD doença de Parkinson, que tem consideráveis implicações para a saúde pública", disse Goldman

domingo, 13 de novembro de 2011

Genética ajuda a desenvolver tratamento individual pata câncer.

Médicos anunciaram a aplicação de um teste genético de amplo espectro que rastreia mutações em células cancerosas para ajudar a adequar o tratamento de pacientes com tumores malignos no pulmão. Usado em pacientes com câncer de pulmão do tipo não pequenas células (NSCLC), a técnica fez tanto sucesso que a equipe agora a adota para tratar tumores malignos colorretais, de mama e cérebro, além de avaliar sua aplicação na leucemia, afirmaram os especialistas no artigo, publicado na edição desta quarta-feira dos Anais de Oncologia, periódico científico europeu especializado em câncer. A meta é identificar mutações genéticas específicas que fazem com que as células se dividam e multipliquem de forma descontrolada. O próximo passo é atacar estas mutações com "drogas inteligentes" que bloqueiam a enzima que possibilita a proliferação das células. Medicamentos sob medida são considerados armas de precisão, pois rastreiam o tipo de célula maligna, ao contrário da quimioterapia, que atua mais como uma arma de caça. "Escolher o tratamento correto pode elevar as taxas de resposta [aos medicamentos] em pacientes com NSCLC de 20% a 30%, em média, para 60% a 75% e melhorar a sobrevivência", afirmou Lecia Sequist, da Escola Médica de Harvard e do Hospital Geral de Massachusetts, que dirigiram a pesquisa. O teste, denominado SNaPshot, busca 50 áreas de mutação em 14 genes, conhecidos por desempenhar um papel em cânceres NSCLC. A técnica, denominada reação em cadeia da polimerase (PCR, na sigla em inglês), leva em média menos de três semanas para obter resultado, ao fazer o rápido rastreamento de métodos tradicionais para amplificar e analisar amostras genéticas. Os pesquisadores analisaram tecido retirado de 589 pacientes em um teste de 14 meses e encontraram uma ou mais mutações em pouco mais da metade das amostras. Dos 589 pacientes, houve 353 com câncer em estágio avançado. E em 170 destes, os médicos conseguiram identificar um ou mais genes problemáticos. Esta descoberta abriu o caminho para que 78 pacientes recebessem tratamentos direcionados. Segundo Sequest, esta foi a primeira vez que uma rede ampla de genes defeituosos foi levantada para criar um genótipo ou perfil genético, para uso no tratamento do câncer. "Nosso estudo é excitante porque demonstra que de fato é possível integrar, hoje, testes de biomarcadores genéticos múltiplos à atribulada prática clínica e levar aos pacientes terapias personalizadas", afirmou, em comunicado. A genotipia é uma ferramenta de rápido desenvolvimento na medicina preventiva, ajudando os médicos a identificar, por exemplo, as mulheres com risco de desenvolver câncer de mama. Fonte:Folha.com

terça-feira, 8 de novembro de 2011

 
 
O patch de liberação da droga iria melhorar a disponibilidade de levodopa comparativamente à administrada por via oral.

8 November 11 - Fontes informam ao ''Globes'' que a Neuroderm Ltd. alcançou resultados promissores ao término de seu ensaio clínico primário de fase II do ND0611, um patch de carbidopa para tratamento da doença de Parkinson. O patch de liberação da droga iria melhorar a disponibilidade de levodopa em relação à administrada por via oral.

A levodopa por via oral é rapidamente digerida e assim exigindo doses elevadas, o que provoca efeitos colaterais. A Neuroderm espera que ao liberar a droga diretamente na corrente sanguínea através da pele, irá oferecer um tratamento mais eficaz para a doença de Parkinson em doses mais baixas e, portanto, menos efeitos colaterais.

O estudo multicêntrico incluiu 24 pacientes que receberam seis tratamentos: três com drogas para Parkinson disponíveis comercialmente e três com esses medicamentos liberados através de patches da empresa. Pacientes que receberam o adesivo mostraram níveis mais elevados da droga no sangue, em comparação com os medicamentos orais. O mesmo efeito foi medido com todas as três drogas testadas.

O teste é muito pequeno para proporcionar eficácia estatística clara do patch, mas a ligação entre os níveis da droga no sangue e sua eficácia são conhecidos - e esse foi o final do julgamento.

O ND0611 é registrado como uma nova terapia e dois grandes ensaios clínicos (Fase IIb e ensaios de Fase III) provavelmente serão necessários antes que possa ser trazido para o mercado. Otimistas, a droga pode chegar ao mercado em 2015.  Fonte: Globes.il.