NOSSO CANAL - VÍDEOS RECOMENDADOS

Loading...

ASSISTA OS VÍDEOS


EU VOCÊ E JAMES, JUNTOS NO YOU TUB


Há um ano comecei a formatar um blog que, na verdade, nem eu sabia ao certo o que pretendia e nem como seria esse “filho”, já que existiam muitos blogs falando com propriedade sobre Parkinson. Resultado: coloquei em "stand by". Queria colocar as idéias no lugar e aguardar uma inspiração.

Por que o nome EU, VOCÊ E JAMES?

EU: podemos falar dos nossos sonhos, aspirações, de receitas, atualidades, alegrias e tristezas, e variedades diversas.
VOCÊ: é a principal razão da existência do blog. É quem vai ajudar na construção e divulgação do espaço que vai ser seu. O espaço é livre.
JAMES: Vixe... Esse aí não é fácil. Como já disse acima, existem muitos blogs que tratam do assunto com competência científica e isso é muito bom. A proposta é que seja uma abordagem bem suave, com humor, pois necessitamos muito de diversão e alegria. Não podemos nos envolver apenas com os aspectos fisiológicos do Parkinson. Vamos tratar do tema com leveza.

Com o Sr. James aprendi, além de outras coisas:
- Ter calma, já que os nervos são o principal fator de problemas para nós;
- Ter sempre um projeto de vida para se apaixonar: como dizia Chico Xavier, estar apaixonado por um projeto faz com que Deus nos dê mais tempo de vida;
- Me movimentar mais, lembrando do sábio Almir Sater na música Tocando em Frente: “Ando devagar porque já tive pressa...”.

E com minha amiga Dalva Molnar aprendi muitas coisas, inclusive que temos muito TA...LEN...TO.

Este blog está trocando de roupa- AGUARDE: EM BREVE NOSSO CLOSET ESTARÁ COMPLETO

sábado, 30 de julho de 2011

Un estudio abre la vía para usar neuroprotectores en tratamiento preventivo de Parkinson

Un estudio abre la vía para usar neuroprotectores en tratamiento preventivo de Parkinson
Los investigadores han empleado una técnica de neuroimagen para medir el nivel de dopamina hallado en la sustancia negra cerebral, responsable de el aprendizaje y la armonía de movimientos
EFE - Barcelona - 29/07/2011 - Un estudio del Hospital Clínic que relaciona los trastornos de sueño en la fase REM con el Parkinson ha determinado quiénes tienen mayor predisposición a padecer la enfermedad, lo que abre una nueva vía a tratamientos preventivos con fármacos neuroprotectores.

Los trastornos en la fase REM ocurren cuando los músculos están paraliados por el sueño, pero el cuerpo realiza movimientos involuntarios como puñetazos, gritos, gemidos, fruto de las pesadillas, ha informado el doctor Alex Iranzo, de la Unidad del Sueño y del Servicio de Neurología del Clínic. Su equipo han comparado durante tres años la evolución de veinte personas sanas con veinte pacientes con trastornos del sueño midiendo la presencia de la dopamina mediante una técnica de neuroimagen, el SPETC cerebral. Este procedimiento se usa para medir el nivel de dopamina hallado en la sustancia negra cerebral, responsable de el aprendizaje y la armonía de movimientos, ya que se ha comprobado que su déficit produce temblores, rigidez y lentitud de movimientos y ocasiona la enfermedad de Parkinson.

"Los resultados obtenidos demuestran que la dopamina se reduce en un 8% en las personas sanas a medida que envejecen, mientras que la reducción es de entre un 20 y un 30% en pacientes con trastornos del sueño, tres de los cuales ya han desarrollado el Parkinson en los tres años de duración del estudio", ha expuesto el doctor Iranzo.

"Por primera vez, disponemos de una técnica diagnóstica que puede detectar los factores de riesgo antes de que el Parkinson haga su aparición", ha reseñado el experto. Iranzo considera que tras este hallazgo, las investigaciones deberían ir dirigidas a la creación de fármacos neuroprotectores para tratar a las personas con factor de riesgo y poder conseguir "que la concentración de dopamina en los pacientes no se reduzca más allá del 8% con el paso del tiempo".

Este es el tercer trabajo realizado en los últimos cinco años sobre el trastorno en la fase REM del sueño por la unidad Multidisciplinar de Trastornos del Sueño y el Servicio de Neurología del Hospital Clínic-IDBAPS de Barcelona y ha sido publicado en la revista científica Lancet Neurology. El primer estudio data de 2006 y consistió en un seguimiento a 43 pacientes con trastornos del sueño y se constató que el 45% acababan desarrollando Parkinson o se demenciaban, según ha explicado el doctor Iranzo. Ya en el segundo trabajo, publicado en septiembre del 2010, concluyó que las pruebas de neuroimagen permitían identificar y conocer mejor el desarrollo de la enfermedad de Parkinson en los pacientes con alteraciones del sueño. Fonte: El Pais.es.

Que neuroprotetores seriam esses? Eis a questão.
Marcadores: diagnostico precoce, diagnóstico

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Quem ganha e quem perde com o rompimento Dr. Nicolelis x cientistas do RIo Grande Norte.

Porque a vaidade humana está sempre acima de qualquer coisa?
O bem da humanidade vem sempre depois da projeção individual.
Durante anos fui secretária de Reitores em uma Universidade brasileira, e convivia diariamente com a disputa entre os iguais nos diversos níveis hierárquicos. É um desfile para ver quem brilha mais. Além de vaidosos, o mundo gira exatamente em torno de seus eixos. Brilham no mundinho deles. O resto? É o resto. Não interessa se você está bem, se você morreu. É um mundo competitivo, corporativista, e com as devidas ressalvas, nem todas estrelas brilham. Algumas são cadentes. Obviamente, os envolvidos não percebem isso.
E na briga das 'estrelas' , quem sai perdendo? A CIÊNCIA E NÓS QUE FAZEMOS PARTE DESSA SOCIEDADE. QUERO REITERAR A ADMIRAÇÃO QUE TENHO PELO DR. NICOLELIS, POR TUDO QUE ELE REPRESENTA PARA A PESQUISA NO MUNDO. ACHO, PARTICULARMENTE, QUE A CURA DE DOENÇAS NEUROLÓGICAS, ESPECIALMENTE O PARKINSON, VIRÁ ATRAVÉS DAS SUAS PESQUISAS, INDEPENDENTEMENTE DE INTERESSES E VAIDADES DE GRUPOS, PARA VER QUEM SOBRESSAI MAIS.
Devemos lembrar que Parkinson viveu em pleno movimento iluminista, que se preocupava com o estudo da sociedade e da natureza. Em relação à sociedade, Parkinson brigou por maior representatividade política da população e pelo voto universal, integrando sociedades políticas secretas (London Corresponding Society for Reform of Parliamentary Representation). Em pleno século 21, ainda cultivarem essas coisas tão pequenas....Repito, lamentável. Só quem sofre desse mal tem pressa em receber e sonhar com a cura. E ela virá pelas suas mãos, DR. NICOLELIS.

Iris

'Conflito com Nicolelis não é pessoal', diz dissidente da UFRN

O neurocientista Sidarta Ribeiro, da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), contrariou as declarações da reitora Ângela Paiva e afirmou que existe "um problema" institucional entre a UFRN e o IINN (Instituto Internacional de Neurociências de Natal), dirigido pelo ex-mentor de Ribeiro, Miguel Nicolelis.

Nicolelis diz que quebra de parceria foi 'coisa trivial'
Acesso a equipamentos de pesquisa provoca cisão entre cientistas

Em nota conjunta, o órgão gestor do instituto de Nicolelis e a reitora da UFRN haviam dito que os problemas se resumiam a "divergências pessoais" entre pesquisadores.

"O que existe é um problema que envolve uma parceria público-privada, que precisa ser resolvido e vai ser resolvido", disse Ribeiro.

Ele e colegas cortaram seus laços com o IINN, inclusive requisitando equipamentos antes compartilhados com o órgão, e estão implantando o Instituto do Cérebro na própria UFRN.

"Nosso projeto tem 15 anos e mobilizou muita gente no Brasil e no exterior. Já é um sucesso. Não podemos deixar que um problema de gestão acabe com tudo isso", disse.

Antigos colaboradores do instituto afirmaram à Folha que a gestão de Nicolelis teria envolvido ações autoritárias. O pesquisador argentino Diego Laplagne, da Universidade Rockefeller, foi proibido de entrar no IINN para assistir a uma palestra.

Laplagne havia trabalhado entre 2008 e 2009 como pós-doutorando no IINN. Em 2010, voltou a Natal para participar de um concurso para uma vaga de professor na UFRN.

No dia seguinte, foi ao IINN assistir a uma palestra do também argentino Pedro Beckinschtein, hoje na Universidade de Cambridge.

"Ao chegar me dei conta de que existia uma lista e que, como meu nome não estava nela, não tinha autorização para entrar no instituto, mesmo acompanhado de um professsor do IINN.
A lista estava impressa e plastificada!", contou Laplagne. "Só me restou partir no meu velho Fusca amarelo."

Laplagne também diz que o problema não é pessoal, e sim acadêmico. "A boa ciência básica só pode ocorrer em um ambiente de liberdade, onde o pesquisador tem independência de escolher suas perguntas e a forma de respondê-las. Minha sensação foi a de que não se estava avançando nesse caminho.
Fonte: Folha.com

OBSERVAÇÂO: Lamentável. Quem perde? A Ciência e a Sociedade..
IRIS.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Perda de memória na velhice pode ser recuperada, diz estudo

DA EFE

A perda de memória na velhice pode ser recuperada se atender as necessidades moleculares dos circuitos neurais, segundo especialistas norte-americanos que estudaram a atividade dos neurônios de primatas.

Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Yale, liderados por Amy Arnsten, avaliaram as respostas de seis macacos jovens, de média idade e velhos, de acordo com as tarefas atribuídas pelos cientistas para medir a memória a curto prazo.

Segundo a publicação dos analistas na última edição da revista "Nature", nos macacos de idade avançada faltou o constante disparo de neurônios no córtex pré-frontal (PFC), uma área do cérebro muito importante para o funcionamento da memória.

Essa redução dos níveis de disparo de neurônios pode ser contornada se conseguir situar o PFC em um meio ambiente neuroquímico bom como o encontrado nos macacos mais jovens.

Assim, a integridade fisiológica dos neurônios velhos pode ser restabelecida se forem atendidas as necessidades moleculares dos circuitos neurais, segundo os cientistas.

Arnsten lembra que o funcionamento da memória é importante para as tarefas diárias, inclusive para planejar coisas com tempo e para a aprendizagem.

No processo de envelhecimento habitual, essas funções diminuem, o que acarreta problemas cognitivos como o esquecimento e a distração.

Para observar as alterações fisiológicas, Amy Arnsten e seus colegas gravaram as tarefas atribuídas aos macacos e descobriram que a resposta dos padrões de ativação dos neurônios do PFC à apresentação dos sinais não variavam com a idade.

No entanto, o disparo de neurônios durante o período de atraso --o tempo entre a apresentação de um sinal e a resposta-- mostrou uma grande redução com a idade.

Contudo, esses neurônios podiam ser parcialmente restabelecidos aos níveis de disparo de jovens adultos quando os analistas bloqueavam dois circuitos neurais específicos nos neurônios do PFC.
Fonte; Folha online

Nicolelis diz que quebra de parceria foi 'coisa trivial'

DE SÃO PAULO
O neurocientista Miguel Nicolelis usou sua conta no Twitter para minimizar na terça-feira (26) o rompimento entre o Instituto Internacional de Neurociências, liderado por ele, e pesquisadores da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) que também eram ligados ao instituto.
Acesso a equipamentos de pesquisa provoca cisão entre cientistas

A cisão veio a público ontem em reportagem da Folha.
"Foi apenas uma colaboração científica que acabou. Coisa trivial", declarou ele no microblog. "Meus melhores votos aos pesquisadores da UFRN que resolveram criar o seu próprio instituto. Que eles prosperem muito", escreveu Nicolelis.

Anteontem, o grupo da UFRN, liderado por Sidarta Ribeiro, retirou do instituto milhões de reais em equipamentos cujo uso, alegam eles, estava sendo indevidamente restringido por Nicolelis.

O pesquisador disse que dará coletiva nesta quinta para "contar sua versão". Ele foi procurado pela reportagem da Folha para conversar sobre o tema, mas não respondeu ao pedido de entrevista.
fonte:folha online

domingo, 24 de julho de 2011

EFEITOS COMBINADOS DA REFLEXOLOGIA PODAL COM O TRATAMENTO CONVENCIONAL NOS PACIENTES PORTADORES DA DOENÇA DE PARKINSON Célia Regina Alves de Araújo, Francisco M. Lima, Josélia D. Corcuruto, Maria Luiza Stopa, Izolete Bajerski

Resumo

De acordo com a Organização das Nações Unidas existem pelo menos quatro milhões de pessoas no mundo com doença de Parkinson. A estimativa é que esse número dobre até 2040, com o aumento da população idosa. Esta pesquisa objetivou identificar os efeitos combinados da Reflexologia Podal com o tratamento convencional nos pacientes portadores da Doença de Parkinson. Foi realizado na Associação Paranaense dos Portadores de Parkinsonismo localizado na cidade de Curitiba-PR-Brasil, após prévia autorização da instituição e dos 6 pacientes que participaram da pesquisa. Quanto a coleta de dados, primeiramente os pacientes portadores de Parkinson responderam um questionário após a primeira aplicação da massagem Reflexologia Podal e, após a 10º dia de aplicação. Os resultados foram analisados através de software Exel for Windows e a realização de correlações e discussões a partir dos dados encontrados e de literatura disponível. Os resultados após todas as sessões de antendimento: dos pacientes sentiram bem-estar, 67% calma, 17% relaxamento; 83% diminuição das dores, 80% melhora da insônia; 73% melhora da constipação intestinal; 68% de melhora da memória; 90% melhora da fala; 85% melhora na deglutição; 72% melhora nos movimentos; 70% melhora na bradicinesia; 78% melhora no humor; 70% diminuição dos espasmos; 76% mais disposição para momentos de lazer; 88% mais facilidade para vestir-se e 74% mais motivação para exercitar-se. Conclui-se que a reflexologia podal pode apresentar resultados benéficos, combinados com o tratamento convencional em pacientes portadores da doença de Parkinson, melhorando atividades de vida diária e diminuindo reações adversas de outros tratamentos.
FONTE

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Erva medicinal chinesa pode ajudar doentes de Parkinson

Conclusão é de um estudo da Universidade Batista de Hong Kon

Parkinson: medicamento da Bial «próximo» dos EUATrês neurobiólogos vencem Prémio Príncipe das AstúriasParkinson: cinco mil doentes sem medicamento.Uma erva medicinal chinesa poderá ser eficaz no tratamento da doença de Parkinson e ainda dos efeitos secundários provocados pelos tratamentos com medicamentos «ocidentais», revela um estudo da Universidade Batista de Hong Kong, escreve a Lusa.
O estudo refere que os pacientes tratados com a erva medicinal chinesa «gou teng», feita à base de caules e espinhos de videira, apresentaram melhorias significativas ao nível da capacidade de comunicação e uma moderação de sintomas como a depressão e dificuldade em adormecer.
«Os resultados são agradáveis», disse Li Min, professora da Faculdade de Medicina da universidade que liderou a equipa de investigadores, ao ressalvar, no entanto, que «a doença de Parkinson é incurável independentemente se tratada com medicamentos ocidentais ou chineses».
Li Min espera que a erva medicinal chinesa possa ser amplamente utilizada nos tratamentos depois da segunda fase do seu estudo estar completa, em 2013. A erva pode ser comprada sem restrições mas a investigadora aconselha os pacientes a só a utilizarem caso esta seja prescrita por um médico.
A doença de Parkinson normalmente é tratada com medicamentos que provocam efeitos secundários como náuseas e alucinações. Ao utilizarem a erva medicinal chinesa, os pacientes puderam diminuir a dosagem dos medicamentos que tomavam e, por conseguinte, os seus efeitos.

MARCADORES :,

A maioria de drogas para psicose de Parkinson não demonstrada


Quase cada prescrição escrita para tratar a psicose de Parkinson -- um efeito secundário psiquiátrica comum da doença de Parkinson -- é para as medicamentações que não foram mostradas para melhorar a circunstância, achados novos de um estudo.
O estudo igualmente encontrou que aquele aproximadamente três de cada 10 prescrições são para as drogas que
podem realmente prejudicar pacientes.
“Para noventa e oito por cento das prescrições não há nenhuma prova desobstruída que melhoram sintomas da psicose em pacientes de Parkinson, à excepção da experiência do clínico,” disse o Dr. Daniel Weintraub, autor importante do estudo e um professor adjunto do psiquiatria no hospital da Universidade do Pensilvânia e de um médico no centro médico dos casos dos veteranos de Filadélfia.
Apenas uma droga, clozapine, é sabida para melhorar sintomas psychotic em pacientes de Parkinson, mas somente dois por cento das prescrições são para o clozapine, Weintraub e seus colegas relatam nos arquivos da neurologia.
A doença de Parkinson afeta as pilhas de nervo no cérebro que ajudam o movimento do músculo do controle. Tanto como como seis de cada 10 povos com a circunstância desenvolver a psicose de Parkinson em algum ponto em suas vidas. Inclui alucinação e o pensamento às vezes delusório. Um dos contribuinte principais é provavelmente as drogas usadas para tratar os sintomas físicos da doença de Parkinson.
Os investigadores registraram acima das prescrições para aproximadamente 2.500 pacientes que foram tratados para a psicose de Parkinson em facilidades dos casos dos veteranos em 2008.
Aproximadamente a metade dos pacientes recebeu a medicamentação para sua psicose. Dois terços das prescrições eram para o quetiapine, que vai pela marca Seroquel. Aprovou pela Agência de Medicamentos e Alimentos para tratar a esquizofrenia, que é um outro tipo de psicose.
“Quetiapine transformou-se uma medicamentação tão dominante,” Weintraub disse, contudo “nenhuns dos estudos da eficácia mostram que é benéfico” para a psicose de Parkinson.
Em quatro estudos, o quetiapine não agravou problemas do músculo dos pacientes mas igualmente não ajudou sua psicose, disse o Dr. Joseph Friedman, diretor da doença de Parkinson e as desordens de movimento centram-se em NeuroHealth, um centro médico em Rhode - console.

Ainda, Friedman e Weintraub suportam o uso do quetiapine, e prescrevem-no a seus próprios pacientes.
“É uma sorte peculiar da coisa, porque nós nos orgulhamos em usar a medicina evidenciar-baseada,” Friedman, que não foi envolvido neste estudo, dito a saúde de Reuters. Mas os doutores encontraram, no seu próprio pessoal -- e unscientific -- a experiência, esse quetiapine parece segura e útil nos pacientes com psicose de Parkinson, adicionou.
Dos doutores medicamentações que são testadas e aprovado para uma circunstância à excepção de essa estão tratando, uma prática da ordem frequentemente chamada “prescrição off-label.” Deixa médicos tratar as doenças para que não pôde haver uma droga formalmente aprovada.
Do interesse a Friedman era encontrar que o segundo - a droga o mais popular prescrita era risperidone, uma outra medicamentação da esquizofrenia que fosse introduzida no mercado como Risperdal.
Aproximadamente 17 de cada 100 pacientes trataram com uma droga para o risperidone recebido psicose de Parkinson.
Risperidone e uma outra droga, olanzipine, são pensados para agravar os sintomas da doença de Parkinson.
Olanzipine, cuja a marca é Zyprexa, foi prescrito 11 de cada 100 vezes.
O uso destas mostras “ignorância” de duas drogas da parte dos médicos que os prescrevem sem se manter moderno em estudos novos sobre sua segurança, Friedman disse dos resultados.
Incentivou doutores aprender mais sobre as drogas. “Os pacientes não devem ser pedidos para ler a literatura.”
Clozapine, a uma droga com bons resultados em estudos clínicos, era “bruta pouco utilizado,” Friedman disse. Foi usada para apenas duas de cada 100 prescrições.
O clozapine da razão é usado raramente, Weintraub explicado, é que exige o sangue regular que testa para monitorar para um efeito secundário sério mas raro. “Fá-lo um tanto pouco prático e uma carga aos pacientes,” Weintraub disse.
Disse que a melhor aproximação a tratar a psicose é à primeiros tentativa e limite, se possível, as medicamentações do Parkinson que puderam contribuir às alucinação ou às desilusão. Se esse as falhas, Weintraub giram então para o quetiapine ou o clozapine para o tratamento.
Disse que as medicamentações devem ser usadas muito cautelosamente para os pacientes que igualmente têm a demência, porque há uma associação entre drogas antipsicósicas e um risco aumentado de morte adiantada entre os povos que têm Parkinson e demência.
Seu estudo, que foram financiados pelo instituto nacional da saúde mental, encontrado que dos pacientes do Parkinson que foram tratados para a psicose, quase um terço teve a demência e mais do que a metade daqueles pacientes foi prescrito uma droga antipsicósica.
Os médicos devem manter na mente as complicações potenciais das drogas entre pacientes de Parkinson com demência, Weintraub disse. As “medicamentações devem ser usadas somente quando necessárias e não indefinidamente.”
Fonte: http://www.noticiassaude.com/noticiasdasaude3/N9/News5.htm

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Estudo aponta sete medidas para se evitar Alzheimer

Estudo aponta sete medidas para se evitar Alzheimer
DA BBC BRASIL
Pesquisadores americanos divulgaram uma lista com sete medidas que poderiam evitar milhões de casos do mal de Alzheimer no mundo todo.
Os sete fatores são ligados a estilo de vida: não fumar, ter uma dieta saudável, prevenir o diabetes, controlar a pressão arterial, combater a depressão, fazer mais atividades físicas e aumentar o nível de educação.
Testes prometem diagnóstico mais cedo de Alzheimer
Só câncer causa mais medo do que a demência
PA
Tabagismo surge como segundo fator, entre sete listados, que mais influencia o desenvolvimento do Mal de Alzheimer
De acordo com o estudo dos cientistas da Universidade da Califórnia, em São Francisco, a metade dos casos da doença no mundo se deve à falta destas medidas de saúde e basta uma redução de 25% nos sete fatores de risco para evitar até 3 milhões de casos.
Os detalhes da investigação foram divulgados na revista científica "The Lancet" e apresentados na Conferência Internacional da Associação de Alzheimer, que ocorre em Paris.
CAUSAS DESCONHECIDAS
As causas do mal de Alzheimer, forma mais comum de demência, ainda não são totalmente conhecidas. Mas, os estudos demonstraram que vários fatores estão ligados à doença, incluindo fatores genéticos, idade e estilo de vida.
Pesquisas já realizadas mostraram que vários fatores de risco podem ser modificados para evitar a doença, como por exemplo, doenças cardiovasculares, níveis de atividade física, estímulo mental e dieta.
Mas, até o momento, não estava claro até que ponto uma pessoa poderia evitar o Alzheimer modificando algum destes fatores de risco.
Para conseguir esta resposta, os pesquisadores usaram um modelo matemático sobre os riscos do Alzheimer no mundo todo.
Com este modelo, os cientistas calcularam a porcentagem global de casos de Alzheimer que poderiam ser atribuídos a diabetes, hipertensão, obesidade, tabagismo, depressão, baixo nível de educação e falta de atividade física.
Os resultados mostraram que a metade dos casos da doença no mundo parecem ser causados por estes fatores, que estão ligados ao estilo de vida e podem ser modificados.
NÍVEL EDUCACIONAL
O fator que parece causar a maior porcentagem de casos da doença, segundo os pesquisadores, é o baixo nível educacional (19%), seguido pelo tabagismo (14%), falta de atividade física (13%), depressão (11%), hipertensão na meia idade (5%), obesidade na meia idade (2%) e diabetes (2%).
Juntos, estes sete fatores de risco contribuem para os 17,2 milhões de casos de Alzheimer no mundo, o que corresponde a 51% dos casos globais da doença.
"Nos surpreendeu descobrir em nosso modelo que os fatores de estilo de vida, como o baixo nível educacional, falta de atividade física e tabagismo parecem contribuir para um número maior de casos de Alzheimer do que as doenças cardiovasculares", disse Deborah Barnes, que liderou o estudo.
"Isso sugere que mudanças relativamente simples no estilo de vida podem ter um impacto dramático no número de casos de Alzheimer no decorrer do tempo", acrescentou.
A pesquisadora destacou, no entanto, que estes são apenas cálculos matemáticos e serão necessários estudos mais amplos em várias populações para comprovar estes dados.
Mesmo assim, segundo os pesquisadores, estes cálculos são uma "suposição importante " e qualquer coisa que ajude a evitar a grande carga que esta doença significa para os serviços de saúde é positiva
Fonte:Folha Online

Testes prometem diagnóstico mais cedo de Alzheimer

Exames que detectam uma proteína no cérebro ou no sangue e um outro teste que mede a largura de vasos sanguíneos na retina são as novas promessas para o diagnóstico precoce da doença de Alzheimer, que afeta 36 milhões de pessoas no mundo.

Os novos métodos foram discutidos em uma conferência internacional de Alzheimer, que acontece em Paris. Hoje, o diagnóstico da doença se baseia no histórico familiar e em informações do paciente, como avaliação mental e sinais neurológicos.

Só câncer causa mais medo do que a demência

O teste mais promissor, em processo de aprovação no FDA (agência americana para o controle de alimentos e remédios), consiste em injetar no sangue um contraste que, por meio de tomografia computadorizada, torna visíveis as placas da proteína beta-amiloide, que parecem desencadear a doença.

Autópsias no cérebro de pessoas que morreram de Alzheimer mostram que essas placas, ao se acumular em áreas corticais, destroem os neurônios, levando à degeneração cerebral irreversível.

É O QUE TEM

"Mesmo que a gente ainda não tenha medicamentos para tratar ou retardar o Alzheimer, esse teste será importante, até para excluir os casos que não são Alzheimer. Não é a solução final, mas é o que temos de mais promissor", diz David Schlesinger, neurologista e pesquisador no Instituto do Cérebro do Hospital Albert Einstein.

Um outro teste mede o nível de beta-amiloide no sangue ou no líquido espinhal. Quanto menor a quantidade, maior a chance de desenvolver Alzheimer. Isso porque, na doença, a proteína migra do sangue (ou do líquido espinhal) para o cérebro.

Um terceiro método, em fase inicial de estudos, mede a largura de vasos sanguíneos na retina. Em pessoas com Alzheimer, esses vasos seriam mais largos do que nas pessoas saudáveis.

RESSALVAS

"Ainda serão necessários mais estudos para demonstrar que essas alterações estão relacionadas com o Alzheimer e não com outras doenças que também provocam mudanças no calibre dos vasos da retina", diz o neurologista Eli Faria Evaristo, do Hospital Oswaldo Cruz.

O médico também não é otimista em relação aos outros testes. "Eles mapeiam, mais ou menos, a mesma fase, quando a doença já está em andamento. Estimamos que o processo se inicie muito antes disso."

Para ele, a melhor recomendação ainda é investir em fatores que, comprovadamente, reduzem as chances de desenvolver o mal de Alzheimer: educação, exercícios e controle do diabetes e da hipertensão
Fonte: Folha online

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Garota engravida de chimpanzé e revoluciona a ciência


DÁ PARA ACREDITAR?




Loucura!!!!
Tem vários Blogs, Twetter, FaceBook, publicando essa notícia.. Como o meu intuito é apenas informativo.... achei uma coisa inacreditável. Bem, se for verdade, vai ser duro se nascer uma criança do sexo feminino. Doi muito depilar todo o corpo. Vamos ver a veracidade do noticiado. Eu sou apenas mais uma espectadora aguardando a confirmação. Bem, se a moda pega, já pensou outros bichos aumentando a prole com humanos? Outro fato curioso é que chipanzé é oriundo da Africa.

Comentário meu. Pessoalmente, não acredito. Iris





DNA comprova que o filho que a jovem espera é do macaco Chimpanzé. Caso aconteceu no interior do Amazonas.


Um caso misterioso ocorrido em Manicoré, interior do Amazonas, tem chamado a atenção de cientistas de todo o mundo. Uma jovem, de apenas 19 anos de idade, está grávida de um macaco chimpanzé. Na tarde deste sábado (25), alguns médicos e cientistas, brasileiros, japoneses, argentinos, americanos, e também uma equipe da NASA, estiveram no Amazonas para analisar o caso da garota.

A jovem, cujo nome está sendo preservado para não causar constrangimento, manteve a gravidez em sigilo até a barriga crescer e denunciar. Os pais foram os primeiros a saberem, mas não acreditaram na versão dada pela jovem, de que o pai seria o macaco.

O repórter de G17.com.br, Felipe Fernando Fonseca Fagundes Farias, conversou com os pais da jovem, neste sábado (25). A mãe da garota, disse que só acreditou na história quando os médicos confirmaram que o DNA do bebê que está sendo gerado pela garota, tem o DNA do macaco.

Já o pai, disse que desconfiava que a filha tinha um chamego com o macaco, mas achou que era apenas carinho de ser humano para animal de estimação. “Ela dormia na cama com o macaco, mas não imaginei que eles faziam algo demais”, disse o pai.
Sobre o futuro, o pai afirma que o melhor é promover o casamento da garota com o Chimpanzé. A mãe é contra.
Fonte: Internet

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Cientistas transformam pele em neurônios

Cientistas da Universidade de Stanford conseguiram transformar diretamente células da pele humana em neurônios sem usar células-tronco embrionárias; apenas adicionando ao tecido da pele moléculas genéticas semelhantes ao DNA, os microRNAs - pequenos RNAs, com cerca de 20 a 22 nucleotídeos. O material foi obtido de uma mulher de 30 anos e é similar ao encontrado no cérebro. A descoberta poderá, no futuro, revolucionar o tratamento de doenças degenerativas, como mal de Alzheimer e Parkinson.

A pesquisa, publicada na "Nature" e reportada pelo "Independent", poderá, um dia, ajudar a desenvolver neurônios diretamente da pele de um paciente para regenerar partes danificadas de seu cérebro ou de sua medula espinhal. E sem a necessidade de extrair células-tronco de embriões humanos, dizem os autores, liderados por Gerald Crabtree.

ESPECIALISTA:Medidas extremas para conter o avanço global do mal de Alzheimer

Trabalhos anteriores haviam demonstrado que as células-tronco derivadas de embriões poderiam ser convertidas em células nervosas maduras. E cientistas já produziram neurônios a partir de células da pele geneticamente modificadas, mas estas foram primeiramente convertidas em pluripotentes, um estágio intermediário, ou seja, com capacidade de se transformar em qualquer outra célula.

Agora, no estudo na Universidade de Stanford, os autores pularam estas etapas e fizeram neurônios a partir de células da pele adicionando duas cadeias curtas de RNA. Eles se disseram surpresos com os resultados.

- Ficamos completamente atônitos - disse Crabtree. - Fizemos neurônios característicos do córtex frontal, muito difícil de se obter.

A inserção de duas moléculas de RNA em células da pele da mulher parecem causar alterações na máquina molecular que controla cromossomos, disse o pesquisador. E isto levou à transformação de célula de pele em neurônios maduros, que funcionam e se comportam exatamente como os naturais, reais, afirmam os cientistas.
Fonte: O Globo

quarta-feira, 13 de julho de 2011

ALHO


ALHO: UM SANTO REMÉDIO
Alho (Allium sativum L.), membro da família das cebolas, tem sido cultivado por milhares de anos e, é usado largamente por seus ambos atributos, culinário e medicinal. À medida que nos tornamos mais acostumados ao sabor do alho, e nos tornamos conhecedores dos múltiplos benefícios que comer alho traz à saúde, a popularidade desta especiaria tem crescido.

A maioria das espécies de alho cresce em clima ameno. As espécies nativas em clima amenos e transportadas para clima frio, normalmente não se desenvolvem bem e quase sempre apresentam um sabor excessivamente forte. O alho é uma espécie de planta adaptável a diversos climas, entretanto, e ao longo de milhares de anos, foram desenvolvidas variedade que crescem bem em clima frio e sempre com um sabor melhor.

O alho está disponível o ano inteiro, e sob diversas formas além do alho fresco, como em pó, em flocos, óleo ou purê.

Benefícios à saúde

As propriedades medicinais e os benefícios que o alho traz à saúde são de há muito conhecidas. O alho tem sido considerado a “maravilha das drogas” herbáticas, com a reputação folclórica de “curar desde um simples resfriado até a peste bubônica”. Tem sido muito usado na medicina herbática (fitoterapia). Cru, tem sido aplicado no tratamento de alguns sintomas da acne, e há algumas evidencias de que pode ajudar na administração dos níveis de colesterol. Pode ser usado até como repelente natural de mosquitos.

Em geral, quanto mais forte o sabor do alho maior o teor de enxofre, portanto, maior o seu valor medicinal. Algumas pessoas sugerem que o alho orgânico tende a ter mais enxofre ainda.

Alguns preferem consumir os suplementos do alho (pílulas e cápsulas) o que evita o hálito de alho.

A ciência moderna mostrou que o alho é um poderoso antibiótico, embora de ação generalizado, não específica a algum tipo de infecção., com a grande vantagem de que o organismo parece não desenvolver resistência conta ele, o que possibilita um benefício à saúde e capacidade curativa contínua, ao longo do tempo.

Ante oxidante

Dois estudos mostram que o alho – especialmente o envelhecido – podem ter um poderoso efeito ante oxidante. Os ante oxidantes ajudam a proteger o corpo contra os “radicais livres”.

Ante coagulante

Pela sua característica ante coagulante, é recomendável para pessoas com pressão arterial elevada, não sendo recomendado o seu consumo pra pessoas recém submetidas a cirurgias.

Desobstrui as vias respiratórias

Por na boca um dente de alho cru, levemente ferido, desobstrui as vias respiratórias, sendo possível até que sejam repelidas crises de asma.

Efeitos colaterais

1. Quando consumido cru e em grande quantidade pode trazer problemas ao sistema digestório.
2. Pela sua característica ante coagulante, não é recomendado o seu consumo pra pessoas recém submetidas a cirurgias.

3. Alergias ao alho podem apresentar resseca mento da pele, elevação da temperatura do corpo (estado febril) e dor de cabeça.

Você sabia?

O alho elefante não é realmente alho e seu sabor é muito mais moderado que o do alho branco.
fONTE: INTERNET.

Nós, brasileiros, marchamos pela maconha, pelos bombeiros, por Jesús...

-------------------------------------------------------------------------------
Por que o Brasil não tem indignados?
JUAN ARIAS - Río de Janeiro - 07/07/2011
O fato de que em apenas seis meses de governo, a presidenta Dilma Rousseff tenha que ter demitido dois de seus principais ministros herdados do governo antecessor Lula da Silva (Antonio Palocci da Casa Civil, uma espécie de primeiro ministro e dos Transportes, Alfredo Nascimento), ambos demitidos sob os escombros da corrupção política, coloca aos sociólogos a pergunta do porque nesse país, onde a impunidade está por detrás da idéia de que “todos são ladrões” e de que “ninguém vai para a cadeia” não exista o fenômeno, hoje em voga em todo o mundo, do movimento dos indignados.
Por que os brasileiros não reagem frente à hipocrisia e a falta de ética de muitos governantes? Por que não lhes incomoda que políticos que os representam, no governo, Congresso, nos estados ou nos municípios roube descaradamente dinheiro público? É a pergunta que fazem muitos analistas e blogueiros políticos.
Nem sequer os jovens, trabalhadores ou estudantes têm manifestado até agora a mínima reação frente à corrupção dos que lhes governam. Curiosamente, a mais irritada diante do assalto aos cofres públicos por parte dos políticos, parece ser a primeira presidenta mulher, a ex-guerrilheira Dilma Rousseff, que tem demonstrado publicamente seu desgosto pelo “descontrole” em curso em áreas do seu governo. A mandatária já retirou do seu governo – e disse que ainda não acabou a limpeza – dois ministros chaves, com o agravante de que eram herdeiros do seu antecessor, o popular Lula da Silva, que lhe pediu que os mantivessem em seu governo.
Hoje, a imprensa diz que Dilma começou a desfazer-se de certa “herança maldita” de hábitos de corrupção do passado. E as pessoas das ruas porque não fazem eco, ressuscitando aqui também o movimento dos indignados? Porque não se mobilizam em redes sociais? O Brasil, depois da ditadura militar, se encontrou nas ruas com o Movimento das “Diretas Já” para pedir a volta das urnas, símbolo da democracia. Também foi para as ruas para obrigar o ex-presidente Collor a deixar o seu cargo diante das acusações de corrupção que pesavam sobre ele. Mas hoje, o país está mudo diante da corrupção em curso. As únicas causas capazes de levar as pessoas às ruas são os homossexuais, os seguidores das igrejas evangélicas e os que pedem a liberação da maconha.
Será que os jovens não têm motivos para exigir um Brasil não apenas cada dia mais rico (ou menos pobre), mais desenvolvido, com maior força internacional, mas também menos corrupto em suas esferas políticas, mais justas, menos desigual, onde um vereador não ganhe mais do que dez vezes o que ganha um professor, ou um deputado cem vezes mais do que ganha o cidadão comum depois de 30 anos de trabalho, e se aposenta com apenas R$ 650,00 enquanto um funcionário público com até 30 mil reais?
O Brasil será logo a sexta maior potência econômica do mundo, mas no momento segue na rabeira em matéria de desigualdade social e na defesa dos direitos humanos. Um país que não permite o aborto, no qual o desemprego das pessoas de cor chega a 20% contra 6% dos brancos e a polícia é uma das mais violentas do mundo.
Há quem atribua à apatia dos jovens ao fato de uma propaganda exitosa que lhes convenceu de que o Brasil é hoje invejado por meio mundo. Que a saída a pobreza de 30 milhões de pessoas os fez acreditar que tudo vai bem, sem compreender que um cidadão de classe média europeu equivale ainda a um rico daqui.
Outros atribuem ao fato de que os brasileiros são pessoas pacíficas, pouco dadas a protestos, que gostam de viver felizes com o que têm e que trabalham para viver em vez de viver para trabalhar. Tudo isso é também certo, mas não explica ainda, porque, num mundo globalizado onde se conhece o instante de tudo o que acontece no planeta começando pelos movimentos de protesto de milhões de jovens que pedem democracia ou a acusam de estarem degenerados, os brasileiros não lutem para que o país, além de rico, também seja mais justo, menos corrupto, mais igualitário e menos violento em todos os níveis.
Assim é o Brasil que os honestos sonham para os seus filhos, um país onde as pessoas não perdem o gosto de desfrutar do pouco ou muito que tem e que seria ainda melhor se surgisse um movimento de indignados, capaz de limpá-lo das escórias de corrupção que golpeiam todas as esferas de poder.
Fonte: JUAN ARIAS - Río de Janeiro - 07/07/2011

OBS: O dever do blog é informar.

Recomendação de beber 2 litros de água por dia é falha, diz estudo

Deixe de lado a obrigação de beber oito copos de água por dia e a culpa que aparecer quando essa "missão" não for cumprida.

Segundo texto publicado ontem no "British Medical Journal", escrito pela médica Margaret McCartney, de Glasgow, na Escócia, o conselho de beber cerca de 2 litros de água por dia é "nonsense".

"Não há evidências científicas dos benefícios de beber quantidades grandes de água, mas o mito de que não bebemos água o suficiente tem vários defensores", diz.

Ela cita o site do National Health Institute (organização de saúde do Reino Unido), que recomenda ingerir de seis a oito copos de água por dia para evitar a desidratação, e organizações como a Hydration for Health, criada pela empresa Danone, fabricante de garrafas de água, que dão conselhos semelhantes.

Os únicos benefícios já provados da alta ingestão de água são dirigidos para pacientes que têm histórico de pedras nos rins, mas não há evidências suficientes de que o líquido possa impedir que elas apareçam em quem nunca teve o problema.

Fora isso, essa imposição corre o risco de ser até prejudicial porque pode causar deficiência de sódio no sangue e fazer as pessoas se sentirem culpadas por não beberem água o suficiente.

Daniel Rinaldi, presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia, afirma que a ingestão de água deve estar relacionada à sede, como um mecanismo de reposição de líquidos do corpo.

"Nosso organismo se autorregula. Não há mesmo evidências de que as pessoas precisam beber 2 litros de água diariamente."

As exceções valem para crianças e idosos, que podem não sentir sede.

Regiões muito secas ou épocas com calor excessivo também pedem mais líquidos. Mas o nefrologista afirma que a água não é a única fonte de hidratação do corpo.

"Muitos alimentos têm água e podem suprir essa necessidade", afirma
Folha.com

O motivo de estar sumida.

Pessoal,


Ando meio sumida e sem publicar quase nada. Motivo: Estou com uma hérnia de disco lombar e literalmente em crise há dias. Não estou podendo pesquisar nada. Sentar para mim é muito doloroso. Vou melhorar ok? Mais uma na minha coleção de 'brindes" ou lista de problemas de saúde. Além do James (Parkinson).


Com isso vem uma piora no Parkinson pois não estou fazendo nada de exercícios.


Quero deixar minha mensagem de otimismo para todos. Acredito que essas coisas vem para o nosso crescimento. Temos que aceitar, dar risadas e ter esperança. Eu, atualmente penso muito no Show do ERICK CLAPTON que irei ver em São Paulo em Outubro (rs). Já estou de ingresso comprado. Que bom a realização de um velho sonho....


Breve estarei na ativa passando para vocês novos artigos, enfim, dividindo informações que tanto precisamos.


Hoje aqui em Paulínia- São Paulo, o sol brilha muito e o frio deu uma trégua. Imaginem uma baiana de Salvador perdida aqui nessa terrinha que faz tanto frio. Ufa!


Um bom dia para todos

sexta-feira, 8 de julho de 2011



Cuba , Ciren embilias , o tratamento
Revela centro de Restauração Neurológica de Cuba avanços nesta pesquisa

Revela centro de Restauração Neurológica de Cuba avanços na investigação.


Havana. Cirurgia para controlar os sintomas da doença de Parkinson têm demonstrado que após 10 anos, os pacientes a manter uma boa qualidade Vida, mesmo quando eles tiveram que voltar a tomar medicação. O Centro Internacional de Restauração Neurológica (Ciren) de Cuba é uma empresa pioneira na realização do procedimento cirúrgico, o que beneficiou 800 pessoas, disse Emilio Villa Acosta, diretor do corpo.
Numa conferência de imprensa, o especialista informou que a mesma técnica desenvolvida na ilha, os pesquisadores Ciren trabalhando em um projeto para reverter os danos causados por acidente vascular cerebral (AVC). Consiste em transplantar medula óssea do paciente, até agora o procedimento provou a sua segurança e tolerância. Falha em mostrar que é eficaz no controle da doença.
Visitar o país na companhia de Hector Vera, vice-diretor da Clínica Ciren, Villa Acosta observou que eventos cerebrovasculares são a principal causa de doença e morte em pessoas com mais de 60 anos de idade, portanto, confirmou o eficaz procedimento em pesquisa, resolver um problema de saúde, disse ele.
Em 1997 ele criou o sistema de estereotaxia, chamado Estereoflex para chegar ao núcleo subtalâmico do cérebro e abordá-la em sua partes mais profundas. O objetivo era melhorar as condições de vida das pessoas com Parkinson, em seguida, aplicada como um tratamento para os movimentos involuntários (distonia) e resistentes a drogas da epilepsia.
Em todos os casos a técnica cirúrgica mostrou eficácia, embora a melhor prova que você tem Parkinson, um assunto sobre o qual existem relatórios internacionais que confirmam os achados de Ciren disse.
Vera disse que, embora a cirurgia para corrigir curso é realizado em outros países, não há consenso sobre como ser a introdução da agência de células-tronco, ou a respeito da quantidade a ser administrada, além de que há pouca informação sobre o efeito longo termo .
Na primeira fase do projeto de pesquisa clínica envolvendo 12 pessoas com AVC Ciren, dos quais oito foram colocados com sucesso, sem causar danos às suas células da medula óssea no limiar entre as áreas danificadas e as partes saudáveis do sistema CNS.
Resta mostrar que células-tronco se tornar neurônios ou tecidos que são necessários para o indivíduo a recuperar funções perdidas (voz, mobilidade, etc.) O que acontece é que, uma vez transplantadas, as células produzem substâncias químicas semelhantes aos que circulam no local onde eles são colocados.
Três fases do projeto começará nos próximos dois anos com mais de 50 pacientes, muito provavelmente a partir de Cuba e outros países com os quais o Ciren tem acordos de colaboração, como Alemanha, Brasil, Uruguai, Argentina e Chile, disse Villa.
Desde a sua criação em 1989, tem proporcionado Ciren cuidados médicos para controlar vários distúrbios do sistema nervoso, tais como as mencionadas, bem como retardo mental e paralisia na infância, entre outros. Ele também tem uma clínica para o diagnóstico e tratamento de autismo, o que representa 40 por cento da demanda por serviços de pediatria.
Ele ressaltou que apesar dos constrangimentos financeiros, a ilha foi determinada a ter o abrangente, multidisciplinar serviços médicos para tratar essas doenças. A data tem servido mais de 93 000 pessoas em Cuba e 88 outros países, incluindo o México.
No caso da doença de Parkinson, também está disponível cirurgia estereotáxica funcional, que é feito para aqueles que viveram com a doença de cinco a 10 anos e em que as drogas disponíveis deixaram de ter o efeito desejado.
Com sintomas a cirurgia da doença desaparecem, como tremores involuntários das mãos e rigidez muscular normalmente são a causa da deficiência. O Ciren tem um escritório no México: Rio Mixcoac 36-1102, colônia Actopan. Telefone 5524 3736, 5682 9100 e na página
Fonte:Vanguarda

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Implante cerebral poderá mover próteses.

O BioBolt é pequeno e poderia ajudar a tratar epilepsia e Parkinson

São Paulo – Um implante cerebral desenvolvido na Universidade de Michigan pode, um dia, ajudar portadores de próteses a moverem seus membros apenas com o pensamento.
O BioBolt funciona de forma wireless pois usa a pele do corpo como condutor para transmitir os sinais cerebrais – o que o faz consumir muita pouca energia.

O dispositivo é minimamente invasivo pois não penetra no córtex e fica completamente coberto pela pele. De um dos lados, ele possui um filme de microcircuitos que encostam no cérebro para “escutar” o padrão de neurônios e os associá-los a um movimento específico.

Esses sinais são ampliados e filtrados, e então convertidos em sinais digitais e transmitidos através da pele para um computador. No momento, os pesquisadores tentam fazer com que a transmissão chegue a alguma parte do corpo, embutindo o computador em um relógio ou brinco, e eliminando a necessidade de carregar um dispositivo.

O BioBolt ainda está em fase de pesquisa, mas poderia permitir que uma pessoa conseguisse “pensar” o movimento de uma prótese, além de auxiliar no tratamento de epilepsia ou Parkinson.

Fonte: Info Notícias.

ORGULHOSA. ( POESIA)

TENTANDO RESGATAR CONCEITOS E MOSTRANDO PRECONCEITOS QUE SEMPRE EXISTIRAM, PUBLICO ESSA POESIA QUE GOSTO MUITO E MINHA MÃE SEMPRE RECITAVA PARA NÓS, POIS ELA NASCEU EM LENÇOIS, CENÁRIO DA POESIA. NÃO BASTA LER A POESIA. IMPORTANTE CONHECER A HISTÓRIA CITADA NA BIOGRAFIA DO POETA.
Biografia:
Trasíbulo Ferraz Moreira, nasceu em 28 de janeiro do 1870, em Lençóis, na Chapada Diamantina, era filho do tenente Espiridião Ferraz Moreira e de d. Maria Amélia F. Moreira; ainda criança com a família deslocou-se para a cidade de Cachoeira. Frequentou as faculdades de Direito do Recife e da Bahia, até o quarto ano, não concluindo o curso por moléstia pulmonar, de que faleceu em plena florescência de seu talento. Redator-chefe da Gazeta de Notícias, militou na imprensa diária de Salvador, lado a lado com a literatura, publicando poesia, contos e crônicas. Com a sua morte, seus amigos tiveram a iniciativa de reunir alguns de seus versos numa coletânea sob o título de Poesias, com o prefácio de Evangelista Pereira, em edição de uma gráfica da cidade de Amargosa, no interior do Estado, em 1900. De sua autoria é, ainda, o volume de contos Poliformes (1896).
Naquela época era comum encerrar as festas com alguém declamando uma poesia acompanhado pelo piano. A poesia A ORGULHOSA, tem a sua história; por sinal em duas versões:
A primeira, de ter sido improvisado no baile de formatura de outro poeta - Péthion de Vilar. Reza a crônica oral que a recepção oferecida pelos pais de Péthion, diplomado em Medicina, naquele ano de 1895, já estava pela metade da noite quando, instado pelo próprio Péthion, seu velho amigo e jornalismo, banco acadêmico e vida literária, Trasíbulo, que chegara quando a festa já ia ao meio e, como sempre, descabelado com traje surrado e calçado com cadarço desamarrado, havia se recolhido à sacada de uma das janelas do palacete que dominava o largo de São Pedro, ensimesmado e abatido com a taboca (recusa) que sofrera por parte de uma das irmãs de Péthion, quando ele se dirigira e a convidara para uma contradança. A jovem, que alegara para efeito de recusa o fato de se achar indisposta, momento depois, aceitava o convite de um dos seus primos.
Não só Péthion, mas, praticamente todos os convidados, exigiram que Trasíbulo declamasse. Não o fez, no entanto, acatando as sugestões feitas de algumas suas conhecidas e inúmeras poesias. Dispôs-se a fazer um improviso do que valeu seu amigo Péthion para, previamente, munir-se de papel e tinta a fim de registrar os versos que tornariam famosos.
Ao final , a jovem que o acompanhara ao piano, debruçou-se desfalecida sobre o teclado, sendo logo socorrida. A jovem, não era outra senão a que lhe negara a contradança.
A segunda versão situa o poeta Trasíbulo Ferraz em período de férias, em casa de parentes em Lençóis. Focaliza o caso do baile como tendo sido em um dos salões elegantes daquela cidade, ocorrendo a recusa da contradança por parte de uma das filhas de Domingos de Almeida, figura de expressão local. A cópia dos versos teria sido objeto de iniciativa de um de seus amigos de faculdade e companheiro de banca de jornal, Américo Pinto Barreto Filho.
A primeira versão é a mais convincente do ponto de vista de que o poeta só procurou o convívio familiar quando de sua doença, pois preferia a vida em Salvador, mesmo quando em férias da faculdade, de vez que, além do jornal, havia a vida boêmia para absorvê-lo.
Não se conhece nenhuma foto do poeta..
Remetido por Eudes Sant'Anna

A Orgulhosa

Num Baile
Ainda há pouco pedi-te,
Pedi-te para valsar...
Disseste - és pobre, és plebeu;
Não me quiseste aceitar!
No entretanto ignoras
Que aquele a quem tanto adoras,
Que te conquista e seduz,
Embora seja da "nata",
É plena figura chata,
É fósforo que não dá luz!

Deixa-te disso, criança,
Deixa de orgulho, sossega,
Olha que o mundo é um oceano
Por onde o acaso navega.
Hoje, ostentas nas salas
As tuas pomposas galas,
Os teus brasões de rainha;
Amanhã, talvez, quem sabe?
Esse teu orgulho se acabe,
Seja-te a sorte mesquinha.

Deixa-te disso, olha bem!
A sorte dá, nega e tira;
Sangue azul, avós fidalgos,
Já neste século é mentira.
Todos nós somos iguais;
Os grandes, os imortais;
Foram plebeus como eu sou.
Ouve mais esta lição:
Grande foi Napoleão,
Grande foi Victor Hugo.

Que serve nobre família,
Linhagem pura de avós?
Se o sangue dos reis é o mesmo,
O mesmo que corre em nós!
O que é belo e sempre novo
É ver-se um filho do povo
Saber lutar e subir,
De braços dados com a glória,
Pra o Pantheon da História,
Pra conquista do porvir.

De nada vale o que tens
Que não me podes comprar;
Ainda que possuísses
Todas as pérolas do mar!
És fidalga? - Sou poeta!
Tens dinheiro? - Eu a completa
Riqueza no coração;
Não troco uma estrofe minha
Por um colar de rainha
Nem por troféus de latão.

Agora sim, já é tempo
De te dizer quem sou eu,
Um moço de vinte anos
Que se orgulha em ser plebeu,
Um lutador que não cansa,
Que ainda tem esperança
De ser mais do que hoje é,
Lutando pelo direito,
Pra esmagar o preconceito
Da fidalguia sem fé!

Por isso quando me falas,
Com esse desdém e altivez,
Rio-me tanto de ti,
Chego a chorar muita vez.
Chorar sim, porque calculo,
Nada pode haver mais nulo,
Mais degradante e sem sal
Do que uma mulher presumida,
Tola, vaidosa, atrevida.
Soberba, inculta e banal.

Fonte: Jornal da Poesia

Para Refletir.

Leila Ferreira é uma jornalista mineira com Mestrado em Letras e Doutora em Comunicação, em Londres.
Apesar disso, optou por viver uma vidinha mais simples, em Belo Horizonte... Autora do texto abaixo.

Achei muito interessante e resolvi dividir com vocês.

Estamos obcecados com "o melhor".
Não sei quando foi que começou essa mania, mas hoje só queremos saber do "melhor".

Tem que ser o melhor computador, o melhor carro, o melhor emprego, a melhor dieta, a melhor operadora de celular, o melhor tênis, o melhor vinho.

Bom não basta.

O ideal é ter o top de linha, aquele que deixa os outros pra trás e que nos distingue, nos faz sentir importantes, porque, afinal, estamos com "o melhor".

Isso até que outro "melhor" apareça e é uma questão de dias ou de horas até isso acontecer.

Novas marcas surgem a todo instante.
Novas possibilidades também. E o que era melhor, de repente, nos parece superado, modesto, aquém do que podemos ter.

O que acontece, quando só queremos o melhor, é que passamos a viver inquietos, numa espécie de insatisfação permanente, num eterno desassossego.

Não desfrutamos do que temos ou conquistamos, porque estamos de olho no que falta conquistar ou ter.

Cada comercial na TV nos convence de que merecemos ter mais do que temos.
Cada artigo que lemos nos faz imaginar que os outros (ah, os outros...) estão vivendo melhor, comprando melhor, amando melhor, ganhando melhores salários.

Aí a gente não relaxa, porque tem que correr atrás, de preferência com o melhor tênis.

Não que a gente deva se acomodar ou se contentar sempre com menos.
Mas o menos, às vezes, é mais do que suficiente.

Se não dirijo a 140, preciso realmente de um carro com tanta potência?

Se gosto do que faço no meu trabalho, tenho que subir na empresa e assumir o cargo de chefia que vai me matar de estresse porque é o melhor cargo da empresa?

E aquela TV de não sei quantas polegadas que acabou com o espaço do meu quarto?

O restaurante onde sinto saudades da comida de casa e vou porque tem o "melhor chef"?

Aquele xampu que usei durante anos tem que ser aposentado porque agora existe um melhor e dez vezes mais caro?

O cabeleireiro do meu bairro tem mesmo que ser trocado pelo "melhor cabeleireiro"?

Tenho pensado no quanto essa busca permanente do melhor tem nos deixado ansiosos e nos impedido de desfrutar o "bom" que já temos.

A casa que é pequena, mas nos acolhe.

O emprego que não paga tão bem, mas nos enche de alegria.

A TV que está velha, mas nunca deu defeito.

O homem que tem defeitos (como nós), mas nos faz mais felizes do que os homens "perfeitos".

As férias que não vão ser na Europa, porque o dinheiro não deu, mas vai me dar a chance de estar perto de quem amo...

O rosto que já não é jovem, mas carrega as marcas das histórias que me constituem.

O corpo que já não é mais jovem, mas está vivo e sente prazer.

Será que a gente precisa mesmo de mais do que isso?

Ou será que isso já é o melhor e na busca do "melhor" a gente nem percebeu?

Fonte:Internet.

terça-feira, 5 de julho de 2011

CU researchers find promising drug for Parkinson's disease


Colorado pesquisadores descobriram uma droga que pára a progressão da doença de Parkinson em ratos e agora está sendo testada em humanos.
Dr. Curt Freed e Zhou Wenbo descobriram que o fenilbutirato droga se transforma em um gene, chamado de DJ-1, que pode proteger os neurônios de dopamina na doença de Parkinson. Doença de Parkinson é causada pela morte de neurônios dopaminérgicos do mesencéfalo.
A chave é o diagnóstico precoce ou o conhecimento de uma predisposição genética para a doença, disse Freed, da Universidade de Colorado School of Medicine.
Doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa e movimento caracterizado pela perda progressiva do controle muscular. Cerca de 1 milhão de pessoas nos Estados Unidos e 5 milhões em todo o mundo são afetadas pela doença de Parkinson, de acordo com
MedicineNet.com , uma linha de cuidados de saúde editora mídia .
Freed e Zhou, que estudaram DJ-1 desde 2003, quando pesquisadores europeus descobriram que mutações no gene poderia causar Parkinson, recebeu uma doação de 75.000 dólares do Michael J. Fox Foundation para realizar testes em 12 pessoas para determinar se existem efeitos colaterais em doentes de Parkinson, o uso da droga.
Agora, eles estão aplicando para vários milhões de dólares em financiamento para expandir o estudo para centenas de pessoas durante vários anos, disse Freed.
"Nós estamos procurando por pessoas que não estão tomando outras drogas para seus Parkinson que foram recentemente diagnosticados", disse Freed. "Isso torna muito mais fácil de interpretar o estudo."
Desenvolvido por um pediatra na Universidade Johns Hopkins University, fenilbutirato tem sido usado há 30 anos para tratar crianças com uma doença do fígado que os impede de eliminar a amônia a partir de seus corpos, que acaba por conduzir à morte.
Freed descobriu que fenilbutirato pode ajudar pacientes de Parkinson, quando ele e Zhou foram screening uma variedade de drogas que têm a capacidade de ativar genes. Eles descobriram que funciona fenilbutirato no DJ-1 de uma forma semelhante à forma como os esteróides atuam sobre genes em células musculares para criar massa muscular.
O Michael J. Fox Foundation financiou os estudos através do seu programa de resposta rápida inovação Awards, projetado para dar aos pesquisadores o que eles precisam buscar boas idéias rapidamente. Decisões do programa de financiamento são feitas dentro de seis semanas de aplicação.
"Este é um projeto perfeito para o programa de resposta rápida", disse Mark Frasier, diretor da fundação de programas de investigação. "É uma idéia nova com um pouco de dados, mas pode não ter gerado maior apoio de outras instituições. É um projeto arriscado, mas perfeito para este programa."
Desde finais de 2000, a fundação tem apoiado $ 250 milhões em pesquisa sobre Parkinson. Bolsas variam de R $ 20.000 para um estudo de três meses a vários milhões de dólares ao longo de vários anos, Frasier disse.
Grupo de libertados é o primeiro de os EUA para tratar Parkinson com terapia genética, transplante de células de dopamina no cérebro para aliviar os sintomas. O procedimento pode substituir a necessidade de drogas, mas não impede a progressão da doença. Freed e seu colega de neurocirurgia Dr. Robert Breeze ter feito a operação em 61 pacientes, mais do que qualquer outro grupo no mundo.
"Se você está preso com um cérebro danificado, tendo a novas células cerebrais pode ajudar", disse Freed. "Idealmente, seria ótimo se pudéssemos parar a doença em qualquer fase em que ele estiver" Leia mais: CU encontrar droga promissora para a doença de Parkinson -
FONTE: Denver Post

Envelhecimento terá 'cura' daqui a 25 anos, diz cientista

KATE KELLAND
DA REUTERS, EM LONDRES

Se as previsões de Aubrey de Grey estiverem certas, a primeira pessoa a comemorar seu aniversário de 150 anos já nasceu. E a primeira pessoa a viver até os mil anos pode demorar menos de 20 anos para nascer.

Biomédico gerontologista e cientista-chefe de uma fundação dedicada a pesquisas de longevidade, De Grey calcula que, ainda durante a sua vida, os médicos poderão ter à mão todas as ferramentas necessárias para "curar" o envelhecimento, extirpando as doenças decorrentes da idade e prolongando a vida indefinidamente.

"Eu diria que temos uma chance de 50% de colocar o envelhecimento sob aquilo que eu chamaria de nível decisivo de controle médico dentro de mais ou menos 25 anos", disse De Grey numa entrevista antes de uma palestra no Britain's Royal Institution, academia britânica de ciências.

"E por 'decisivo' quero dizer o mesmo tipo de controle médico que temos sobre a maioria das doenças infecciosas hoje", acrescentou.

De Grey antevê uma época em que as pessoas irão ao médico para uma "manutenção" regular, o que incluiria terapias genéticas, terapias com células-tronco, estimulação imunológica e várias outras técnicas avançadas.

Ele descreve o envelhecimento como o acúmulo de vários danos moleculares e celulares no organismo. "A ideia é adotar o que se poderia chamar de geriatria preventiva, em que você vai regularmente reparar o dano molecular e celular antes que ele chegue ao nível de abundância que é patogênico", explicou o cientista, cofundador da Fundação Sens (sigla de "Estratégias para a Senilitude Programada Desprezível"), com sede na Califórnia.

TENDÊNCIA

Não se sabe exatamente como a expectativa de vida vai se comportar no futuro, mas a tendência é clara. Atualmente, ela cresce aproximadamente três meses por ano, e especialistas preveem que haverá um milhão de pessoas centenárias no mundo até 2030.

Só no Japão já existem mais de 44 mil centenários, e a pessoa mais longeva já registrada no mundo foi até os 122 anos.

Mas alguns pesquisadores argumentam que a epidemia de obesidade, espalhando-se agora dos países desenvolvidos para o mundo em desenvolvimento, poderá afetar a tendência de longevidade.

As ideias de De Grey podem parecer ambiciosas demais, mas em 2005 o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) ofereceu um prêmio de US$ 20 mil para qualquer biólogo molecular que provasse que as teorias da Fundação Sens são "tão erradas que nem são dignas de um debate bem informado". Ninguém levou a bolada.

O prêmio foi instituído depois que um grupo de nove cientistas influentes atacou as teorias de Grey, qualificando-as de "pseudociência". Os jurados concluíram que o rótulo não era justo, e argumentaram que o Sens "existe em um meio-termo de ideias ainda não testadas que algumas pessoas podem considerar intrigantes, mas das quais outras estão livres para duvidar."

Fonte: Equilíbrio e Saúde. Folha.com

sábado, 2 de julho de 2011

Sound Of Silence

RELAX........

Para homens, é mais fácil cuidar de carro do que da saúde, diz pesquisa

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostra que os homens consideram mais fácil cuidar do carro do que da própria saúde.

Cerca de 70% dos entrevistados se enquadraram neste comportamento, e 40% disseram ainda que não apenas cuidar, como também resolver problemas com o carro é mais fácil.

Foram entrevistados 501 homens de 45 a 65 anos neste mês, tradicionalmente dedicado à saúde masculina nos Estados Unidos.

O levantamento mostrou ainda que 28% não vão ao consultório com regularidade. Um dos coordenadores da pesquisa, o urologista Harry Fisch, destacou a importância da realização anual de cinco exames (testículos, próstata, colesterol, testosterona e pressão arterial).

A pesquisa, patrocinada pela Men's Health Network e por um laboratório, foi realizada em maio com base em resposta on-line.
Fonte:Folha online

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Cuide-se cuidador!




Lidar com a Doença de Alzheimer pode afetar emocionalmente o cuidador. Entender a doença e manter a serenidade são passos fundamentais para melhor tratar o paciente.

O Brasil está ficando mais velho. Segundo expectativa do Banco Mundial (Bird), a população idosa brasileira deve triplicar nos próximos 40 anos, passando de 20 milhões em 2010 para 65 milhões em 2050. Esse incremento trará impactos na educação, previdência social e, principalmente, na saúde. Isto significa também que a figura do cuidador terá cada vez mais importância para a qualidade de vida do idoso.

Segundo Paulo Renato Canineu, professor de gerontologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), os idosos, em maior ou menor grau, necessitam de algum tipo de atenção e auxílio diário. “Com o envelhecimento, existe a possibilidade de o idoso ser acometido pelos vários tipos de demência”, explica o especialista. A forma mais comum das demências é a Doença de Alzheimer (DA), porém existem ainda a Demência Vascular, Doença de Lewy, Doença de Parkinson, Hidrocefalia de Pressão Normal, entre outras.

A DA se manifesta formas diferentes nas fases inicial, moderada e avançada. Em todas elas o papel do cuidador é importante, sendo por vezes necessária a presença de mais de um cuidador para dividir as funções e amenizar a sobrecarga. Dentre as atividades estão: higiene pessoal, assistência diurna e noturna, consultas médicas, horários da medicação, pagamento das contas do paciente, controle da conta bancária, entre outras.

Lidar com a realidade da DA não é uma tarefa fácil. “O cuidador precisa ter muita estrutura para não ser tomado pela frustração, uma vez que é a doença não tem cura”, informa Canineu. A busca por informações é uma boa forma de tornar o sofrimento mais leve. “É aconselhável que o cuidador solicite explicações ao médico sobre o assunto e esclareça suas dúvidas com este profissional. E, também, é necessário que esta pessoa esteja atenta à própria saúde, pois o estresse emocional pode ser prejudicial a ele e ao paciente”, recomenda o especialista.

O cuidador pode minimizar o desgaste físico e mental que envolve suas tarefas praticando alguma atividade que lhe dê prazer, como assistir a filmes, ler livros, fazer passeios. “Reservar qualquer tempo disponível para o lazer individual é muito importante para a saúde do cuidador, pois funciona como uma válvula de escape”, esclarece Canineu. Outra alternativa para o cuidador seria procurar ajuda e orientação por meio de uma terapia.

“O importante é o cuidador manter sua saúde para ajudar o paciente de DA a ter a melhor qualidade de vida possível”, informa. Mesmo sem cura, a Doença de Alzheimer tem tratamento medicamentoso com inibidores da acetilcolinestinesterase, que pode retardar de forma significativa o declínio da função cognitiva, comportamental e funcional. Entre os medicamentos, o Eranz (cloridrato de donepezila) é o único indicado para todas as fases da doença (leve, moderada e grave). Vale lembrar que se iniciado já na fase leve da doença, durante o surgimento dos primeiros sintomas, o tratamento terá resultados ainda melhores. Contudo, o médico deve ser sempre procurado para avaliar e indicar o tratamento mais adequado para cada paciente.

“O melhor é que o cuidador procure ajuda, orientação e até tratamento e, o mais importante, não esquecer-se, pois a vida continua e o paciente seguirá melhor se o cuidador estiver bem”, conclui Canineu.

A Doença de Alzheimer (DA)- A DA é uma enfermidade crônica, degenerativa, progressiva e irreversível, que compromete o cérebro provocando alterações profundas no comportamento, dificuldade de raciocínio e na articulação do pensamento e diminuição da memória, com efeitos devastadores sobre o doente e sobre a família. Tendo em vista esses fatores, a presença integral de cuidador, que pode ser alguém da família ou não, é fundamental para zelar pela saúde e bem-estar do paciente.

Testando o estresse do familiar e do cuidador:1 - Tenho pouco tempo para mim?| 2 - Tenho ajuda de meus familiares?| 3 - Eu choro com frequência?| 4 - Venho tendo problemas de saúde?| 5 - Eu sinto que não estou em boas condições para cuidar do idoso dependente?| 6 - Eu não passeio, não viajo, evito pessoas, não visito familiares e amigos?| 7 - Sinto, com frequência, frustração, raiva e tristeza?| 8 - Sinto-me culpado com a situação atual?| 9 - Sempre entro em conflito com o idoso que cuido?| 10 – Tenho me alimentado bem? Tenho dormido bem? [ www.alzheimer.med.br].

Segundo o Dr. Paulo Renato Canineu, se alguma das questões acima foi respondida positivamente, está na hora do cuidador mudar de postura e reservar um tempo para a prática de atividades prazerosas (ou até terapia) a fim de obter qualidade de vida e poder dar continuidade às suas funções com sucesso.

Pfizer- Fundada em 1849, a Pfizer é uma das mais completas e diversificadas companhias do setor farmacêutico. Presente em mais de 150 países, a empresa está no Brasil desde 1952. Melhorar a saúde e proporcionar bem-estar fazem parte da missão da Pfizer ao descobrir, desenvolver, fabricar e comercializar medicamentos de prescrição, genéricos e de consumo para Saúde Humana e Animal. A companhia oferece opções terapêuticas para uma variedade de doenças em todas as etapas da vida, com um portfólio que engloba desde vitaminas para gestantes e vacinas para bebês, até medicamentos para doenças complexas, como dor, câncer, tabagismo, infecções e doença de Alzheimer. Entre seus produtos, destacam-se Lípitor, Enbrel, Viagra, Sutent, Lyrica, Rapamune, Champix, Eranz, Centrum, Pristiq, Zyvox, Advil e a vacina Prevenar. A Pfizer também mantém e acompanha projetos sociais voltados para educação, saúde e sustentabilidade no país.

Fonte: Fator Portal Brasil