NOSSO CANAL - VÍDEOS RECOMENDADOS

Loading...

ASSISTA OS VÍDEOS


EU VOCÊ E JAMES, JUNTOS NO YOU TUB


Há um ano comecei a formatar um blog que, na verdade, nem eu sabia ao certo o que pretendia e nem como seria esse “filho”, já que existiam muitos blogs falando com propriedade sobre Parkinson. Resultado: coloquei em "stand by". Queria colocar as idéias no lugar e aguardar uma inspiração.

Por que o nome EU, VOCÊ E JAMES?

EU: podemos falar dos nossos sonhos, aspirações, de receitas, atualidades, alegrias e tristezas, e variedades diversas.
VOCÊ: é a principal razão da existência do blog. É quem vai ajudar na construção e divulgação do espaço que vai ser seu. O espaço é livre.
JAMES: Vixe... Esse aí não é fácil. Como já disse acima, existem muitos blogs que tratam do assunto com competência científica e isso é muito bom. A proposta é que seja uma abordagem bem suave, com humor, pois necessitamos muito de diversão e alegria. Não podemos nos envolver apenas com os aspectos fisiológicos do Parkinson. Vamos tratar do tema com leveza.

Com o Sr. James aprendi, além de outras coisas:
- Ter calma, já que os nervos são o principal fator de problemas para nós;
- Ter sempre um projeto de vida para se apaixonar: como dizia Chico Xavier, estar apaixonado por um projeto faz com que Deus nos dê mais tempo de vida;
- Me movimentar mais, lembrando do sábio Almir Sater na música Tocando em Frente: “Ando devagar porque já tive pressa...”.

E com minha amiga Dalva Molnar aprendi muitas coisas, inclusive que temos muito TA...LEN...TO.

Este blog está trocando de roupa- AGUARDE: EM BREVE NOSSO CLOSET ESTARÁ COMPLETO

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ 2011.


AO CHEGAR PERTO DO FINAL DO ANO, QUASE NUNCA FAZEMOS UM BALANÇO DAS NOSSAS VIDAS, QUASE NUNCA FALAMOS DAS NOSSAS ALEGRIAS, SUCESSOS, GRAÇAS ALCANÇADAS, ESSAS COISAS CORRIQUEIRAS QUE FAZEM PARTE DA VIDA DE CADA UM. PORÉM, COSTUMAMOS ENFATIZAR NOSSAS PERDAS, RECLAMAÇÕES DA VIDA, A DOENÇA QUE AVANÇA. A MINHA SUGESTÃO É QUE MUDEMOS DE ATITUDE, TENTANDO FAZER UM BALANÇO GERAL DO QUE FOI O ANO QUE SE ACABA E O QUE PODEMOS E QUEREMOS MUDAR EM 2011 .

ESTANDO EU EM SALVADOR, TENHO OBSERVADO A CIDADE, ESTOU REDESCOBRINDO-A, UMA SALVADOR QUE ANTES ME PASSAVA DESAPERCEBIDA . A PERCEPÇÃO E SENSIBILIDADE DA GENTE MUDA CONFORME O NOSSO ESTADO DE ESPÍRITO. O QUE ANTES ME INCOMODAVA NA CIDADE, HOJE NÃO ME PERTURBA MAIS. QUERO DIZER QUE, ADMINSTRANDO MINHAS LIMITAÇÕES HOJE, O RESTO TORNA-SE BOBAGEM.

AGRADEÇO AOS AMIGOS POR TEREM COMPARTILHADO COMIGO A SAÚDE, SUCESSO, INFORTÚNIOS, ALEGRIAS E TUDO QUE PASSAMOS JUNTOS. VAMOS NOS DESLIGAR DE 2010 FAZENDO UMA GRANDE RETROSPECTIVA. SUGIRO QUE DELETEMOS O QUE NÃO FOI LEGAL E MANTENHAMOS ACESA A CHAMA DA VIDA. QUANTO ÀS PERDAS E PEDRAS SEMEADAS NO NOSSO CAMINHO, VAMOS CHUTA-LAS. QUANDO O INFORTUNIO BATER À SUA PORTA, DEVOLVA PARA MUITO LONGE O BAIXO ASTRAL.

QUE NESTE ANO 2011, UM RAIO DE SOL ENTRE POR TODAS AS FENDAS NOS NOSSOS LARES E ILUMINE TUDO, INCLUSIVE NOSSAS ALMAS.

VAMOS ESCUTAR MUITA MÚSICA, DANÇAR BASTANTE, PROCURAR SACUDIR O ESQUELETO. ISSO FAZ UM BEMMMMMMMMMMM!!! VAMOS VALORIZAR NOSSAS AMIZADES, AMORES, TER INTERESSE PELAS PESSOAS, PELO QUE ELAS TRAZEM NO SEU INTERIOR. ESSA É MINHA MENSAGEM.

AGRADEÇO AO MEU MARIDO POR ME ATURAR, PELA PACIÊNCIA, DEDICAÇÃO, AOS AMIGOS PELA LEALDADE, CARINHO. AOS MEUS FILHOS POR SEREM TÃO ESPECIAIS PARA MAMI. QUANDO A GENTE GOZA DE PLENA SAÚDE, DESENVOLTURA E DESTREZA, VALORIZAMOS OUTRAS COISAS. QUANDO AS LIMITAÇÕES CHEGAM... BATE A INSEGURANÇA E A GENTE COMEÇA A VER A VIDA POR OUTRO PRISMA VALORIZANDO CADA MOMENTO, CADA MOVIMENTO, O DESABROCHAR DE UMA FLOR, POR EXEMPLO. OBSERVAR UM BEIJA FLOR PARANDO NO AR. É MUITO BOM.

MAS PESSOAL, A VIDA É UM BARATO TOTAL . VAMOS VIVE-LA INTENSAMENTE PARA NÃO LAMENTARMOS MAIS TARDE, COMO CANTA NANDO REIS.


Letra da musica Epitáfio:

Devia ter amado mais,
ter chorado mais,
ter visto o Sol nascer...
Devia ter arriscado mais,
até errado mais,
ter feito o que eu queria fazer...
Queria ter aceitado
as pessoas tal como elas são.
Cada um sabe a alegria
e dor que traz no coração.

domingo, 26 de dezembro de 2010

GABRIEL GARCÌA MÁRQUEZ.

Gabriel García Márquez: Estas sinistras festas de Natal
“O mais grave de tudo é o desastre cultural que estas festas de Natal pervertidas estão causando na América Latina”, escreveu o escritor colombiano Gabriel García Márquez, há 30 anos, em artigo para o El País. No texto, Gabo critica a influência norte-americana na forma latino-americana de festejar o Natal.



Gabriel García Márquez
“Antes, quando tínhamos apenas costumes herdados da Espanha, os presépios domésticos eram prodígios de imaginação familiar”, lembra o autor de Cem Anos de Solidão. “Tudo isso mudou nos últimos 30 anos, mediante uma operação comercial de proporções mundiais que é, ao mesmo tempo, uma devastadora agressão cultural. O menino Jesus foi destronado pela Santa Claus dos gringos e dos ingleses, que é o mesmo Papai Noel dos franceses e aos que conhecemos de mais.

Segundo o escritor, os Estados Unidos deturparam o que havia de melhor na lenda de Natal, impondo à América Latina uma versão “com toda uma cultura de contrabando: a neve artificial, as velas coloridas, o peru recheado e estes 15 dias de consumismo frenético a que muito poucos nos atrevemos a escapar”.

Leia abaixo a íntegra do artigo.


Estas sinistras festas de Natal

Por Gabriel García Márquez

Ninguém mais se lembra de Deus no Natal. Há tanto barulho de cornetas e de fogos de artifício, tantas grinaldas de fogos coloridos, tantos inocentes perus degolados e tantas angústias de dinheiro para se ficar bem acima dos recursos reais de que dispomos que a gente se pergunta se sobra algum tempo para alguém se dar conta de que uma bagunça dessas é para celebrar o aniversário de um menino que nasceu há 2 mil anos em uma manjedoura miserável, a pouca distância de onde havia nascido, uns mil anos antes, o rei Davi.

Cerca de 954 milhões de cristãos – quase 1 bilhão deles, portanto – acreditam que esse menino era Deus encarnado, mas muitos o celebram como se na verdade não acreditassem nisso. Celebram, além disso, muitos milhões que nunca acreditaram, mas que gostam de festas e muitos outros que estariam dispostos a virar o mundo de ponta cabeça para que ninguém continuasse acreditando. Seria interessante averiguar quantos deles acreditam também no fundo de sua alma que o Natal de agora é uma festa abominável e não se atrevem a dizê-lo por um preconceito que já não é religioso, mas social.

O mais grave de tudo é o desastre cultural que estas festas de Natal pervertidas estão causando na América Latina. Antes, quando tínhamos apenas costumes herdados da Espanha, os presépios domésticos eram prodígios de imaginação familiar. O menino Jesus era maior que o boi, as casinhas nas colinas eram maiores que a Virgem e ninguém se fixava em anacronismos: a paisagem de Belém era complementada com um trenzinho de arame, com um pato de pelúcia maior que um leão que nadava no espelho da sala ou com um guarda de trânsito que dirigia um rebanho de cordeiros em uma esquina de Jerusalém.

Por cima de tudo, se colocava uma estrela de papel dourado com uma lâmpada no centro e um raio de seda amarela que deveria indicar aos Reis Magos o caminho da salvação. O resultado era na realidade feio, mas se parecia conosco e claro que era melhor que tantos quadros primitivos mal copiados do alfandegário Rousseau.

A mistificação começou com o costume de que os brinquedos não fossem trazidos pelos Reis Magos – como acontece na Espanha, com toda razão –, mas pelo menino Jesus. As crianças dormíamos mais cedo para que os brinquedos nos chegassem logo e éramos felizes ouvindo as mentiras poéticas dos adultos.

No entanto, eu não tinha mais do que cinco anos quando alguém na minha casa decidiu que já era hora de me revelar a verdade. Foi uma desilusão não apenas porque eu acreditava de verdade que era o menino Jesus que trazia os brinquedos, mas também porque teria gostado de continuar acreditando. Além disso, por uma pura lógica de adulto, eu pensei então que os outros mistérios católicos eram inventados pelos pais para entreter aos filhos e fiquei no limbo.

Naquele dia – como diziam os professores jesuítas na escola primária –, eu perdi a inocência, pois descobri que as crianças tampouco eram trazidas pelas cegonhas desde Paris, que é algo que eu ainda gostaria de continuar acreditando para pensar mais no amor e menos na pílula.

Tudo isso mudou nos últimos 30 anos, mediante uma operação comercial de proporções mundiais que é, ao mesmo tempo, uma devastadora agressão cultural. O menino Jesus foi destronado pela Santa Claus dos gringos e dos ingleses, que é o mesmo Papai Noel dos franceses e aos que conhecemos de mais. Chegou-nos com o trenó levado por um alce e o saco carregado de brinquedos sob uma fantástica tempestade de neve.

Na verdade, este usurpador com nariz de cervejeiro é simplesmente o bom São Nicolau, um santo de quem eu gosto muito e porque é do meu avô o coronel, mas que não tem nada a ver com o Natal e menos ainda com a véspera de Natal tropical da América Latina.

Segundo a lenda nórdica, São Nicolau reconstruiu e reviveu a vários estudantes que haviam sido esquartejados por um urso na neve e por isso era proclamado o patrono das crianças. Mas sua festa é celebrada em 6 de dezembro, e não no dia 25. A lenda se tornou institucional nas províncias germânicas do Norte no final do século 18, junto à árvore dos brinquedos e a pouco mais de cem anos chegou à Grã-Bretanha e à França.

Em seguida, chegou aos Estados Unidos, e estes mandaram a lenda para a América Latina, com toda uma cultura de contrabando: a neve artificial, as velas coloridas, o peru recheado e estes quinze dias de consumismo frenético a que muito poucos nos atrevemos a escapar.

No entanto, talvez o mais sinistro destes Natais de consumo seja a estética miserável que trouxeram com elas: esses cartões postais indigentes, essas cordinhas de luzes coloridas, esses sinos de vidro, essas coroas de flores penduradas nas portas, essas músicas de idiotas que são traduções malfeitas do inglês e tantas outras gloriosas asneiras para as quais nem sequer valia a pena ter sido inventada a eletricidade.

Tudo isso em torno da festa mais espantosa do ano. Uma noite infernal em que as crianças não podem dormir com a casa cheia de bêbados que erram de porta buscando onde desaguar ou perseguindo a esposa de outro que acidentalmente teve a sorte de ficar dormido na sala.

Mentira: não é uma noite de paz e amor, mas o contrário. É a ocasião solene das pessoas de quem não gostamos. A oportunidade providencial de sair finalmente dos compromissos adiados porque indesejáveis: o convite ao pobre cego que ninguém convida, à prima Isabel que ficou viúva há 15 anos, à avó paralítica que ninguém se atreve a exibir.

É a alegria por decreto, o carinho por piedade, o momento de dar presente porque nos dão presentes e de chorar em público sem dar explicações. É a hora feliz de que os convidados bebam tudo o que sobrou do Natal anterior: o creme de menta, o licor de chocolate, o vinho passado.

Não é raro, como aconteceu frequentemente, que a festa acabe a tiros. Nem tampouco é raro que as crianças – vendo tantas coisas atrozes – terminem acreditando de verdade que o menino Jesus não nasceu em Belém, mas nos Estados Unidos.

Fonte: Internet .

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

NEUROLOGÍA - LOS SINTOMAS NO MOTORES DE LA ENFERMEDAD DE PARKINSON

NEUROLOGÍA - Los síntomas no motores de la enfermedad de Parkinson
23/12/2010 - Los síntomas del Parkinson
Síntomas no motores como la depresión o las alteraciones del sueño tienen una estrecha relación con una enfermedad neurológica progresiva como es el Parkinson. Estos síntomas han recibido poca atención pero en los últimos tiempos se han comenzado a valorar desde el momento en que se ha visto que su implicación en la disminución de la calidad de vida de los pacientes con Parkinson es muy elevada. El doctor Eduard Tolosa, jefe de la unidad de parkinson del Hospital Clínic de Barcelona y Catedrático de Neurología de la Universidad de Barcelona, comenta la importancia de los síntomas no motores en la enfermedad del Parkinson y destaca que puede ser ver síntomas muy iniciales o pre-motores que alerten que una persona pueda tener la patología. La falta de olfato puede ser uno de ellos.

Síntomas No Motores del Parkinson
Un paciente con Parkinson puede tener muchos trastornos no relacionados con la motricidad, como pueden ser alteraciones del sueño o dificultad en procesos mentales como la memoria, la concentración o la apatía. Otros problemas que también hay que mencionar son los que se refieren a la disautonomía, es decir, que implican estreñimiento, disfunción eréctil o alteraciones urinarias, por ejemplo. Otro grupo de afectaciones no motoras que se presentan en pacientes con Parkinson son la pérdida de olfato y el dolor. Todos estos trastornos no motores se vuelven más frecuentes a medida que la enfermedad avanza, aunque en ocasiones también pueden aparecer en las fases más precoces.

Síntomas de Alerta
Antes del diagnóstico de Parkinson, síntomas como la depresión o alteraciones de sueño pueden ser una señal de alerta de la enfermedad neurológica. En esa fase pre-motora algunos de los problemas que se presentan en los pacientes son pesadillas por la noche acompañadas de agitación, pérdida del olfato, depresión o somnolencia excesiva durante todo el día. La lectura positiva que se puede hacer de esta situación es que la enfermedad puede diagnosticarse antes de que aparezcan los síntomas más característicos de la enfermedad, como son los típicos temblores o la dificultad para caminar.

Impacto Negativo
Estudios recientes sobre la calidad de vida de los pacientes con Parkinson indican que los síntomas no motores son los que mayor impacto negativo tiene, sobre todo la depresión y el insomnio. Este impacto no afecta solamente al paciente sino que también a su cuidador, ya que para él no hay nada más preocupante que un paciente con problemas de hipersexualidad, alucinaciones o de compra compulsiva. (segue...) Fonte: Vivir Mejor.es.
Marcadores: sintomas não motores

POSTADO NO BLOG DOENÇA DE PARKINSON
por Hugo

domingo, 19 de dezembro de 2010

BISCOITOS DE NATAL








A receita é tradicional alemã, para a festa de Natal de uma família brasileira.

Toda celebração fica mais feliz com a integração e participação daqueles que são importantes e compartilham dos nossos bons e maus momentos - a família. As crianças brincam e os adultos se divertem.

Para o parkinsoniano é importante aproveitar estes pequenos exercícios e treinar os movimentos finos, melhorando a coordenação motora. Com uma companhia tão especial, tudo fica mais fácil.

Viva o lúdico, feliz Natal!!!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

FOI SÓ UM SUSTO.AINDA BEM.


AOS AMIGOS, QUERO INFORMAR QUE A NOSSA QUERIDA AMIGA ANA FLORENCE ESTÁ BEM E DEVE SAIR AMANHÃ DO HOSPITAL EM SALVADOR.

O MAL DA GENTE É PENSAR QUE TUDO QUE SENTIMOS É CULPA DO DR. JAMES.O QUE OCORRE É QUE DESCUIDAMOS DO RESTO DAS COISAS QUE SENTIMOS. AÍ VAI UM ALERTA: NEM TUDO É PARKINSON VIU GALERA?

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

UMA PEQUENA MENSAGEM DE NATAL



Muito se fala sobre a "selvageria capitalista" em que se transformou o Natal. Para compensá-la, passa-se a exaltar a religiosidade da data, com alguns querendo manter o Natal voltado apenas para as orações.
Creio que devemos, como em tudo mais na vida, usar o bom senso e equilibrar as coisas.
Dar presentes não pode ser pecado (lembram dos Reis Magos?). Também não podemos esquecer que a data representa o aniversário DELE, que veio para nos redimir: então podemos e devemos orar, agradecer tudo que ELE nos proporcionou, seja lá qual for a religião de cada um.
Aproveitemos para ensinar às crianças o significado daqueles presentes que eles estão recebendo de Papai Noel. E a agradecer.

QUE JESUS CRISTO ESTEJA AO LADO DE CADA UM DE NÓS, HOJE, SEMPRE E, EM ESPECIAL, NESTE NATAL.

APROVEITO PARA PEDIR UMA COISA A PAPAI NOEL: BARBUDINHO, CONVERSA COM PAPAI DO CÉU E TRAZ ANO QUE VEM UMA ESPERANÇA PARA A GALERA, INCLUSIVE EUZINHA. A CURA PARA DOENÇAS DEGENERATIVAS E TODAS EXISTENTES NO PLANETA, VIU?

eu adoro fotografar...
veja que mimo nas cores que vc gosta



A brisa da primavera soprou o pólen até as planícies orvalhadas e fecundou a beleza do desabrochar.
Todas as rosas se abriram para te ver passar.

domingo, 5 de dezembro de 2010

CHAPADA DIAMANTINA-MORRO DO PAI INÁCIO-LENÇÓIS





COM A CHEGADA DAS FÉRIAS, VAI AÍ UMA DICA: CHAPADA DIAMANTINA E UMA LINDA FOTO DE SALVADOR.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Ronda

Dentro da madrugada
o galo
em rubra clarinada.

Na capelinha aldeã
um sino
inaugura a manhã.

Bafagem. Meio dia!
O sol,
olho sangrento, espia.

A noite é um véu. Flutua,
serena entre as estrelas,
a lua...
Uma homenagem a Poetisa Baiana, Nildéia Senna Andrade. Grande figura.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

IRIS .. minha linda..
estou aqui de atrevida espalhando neve no teu blog
saudades!!!