NOSSO CANAL - VÍDEOS RECOMENDADOS

Loading...

ASSISTA OS VÍDEOS


EU VOCÊ E JAMES, JUNTOS NO YOU TUB


Há um ano comecei a formatar um blog que, na verdade, nem eu sabia ao certo o que pretendia e nem como seria esse “filho”, já que existiam muitos blogs falando com propriedade sobre Parkinson. Resultado: coloquei em "stand by". Queria colocar as idéias no lugar e aguardar uma inspiração.

Por que o nome EU, VOCÊ E JAMES?

EU: podemos falar dos nossos sonhos, aspirações, de receitas, atualidades, alegrias e tristezas, e variedades diversas.
VOCÊ: é a principal razão da existência do blog. É quem vai ajudar na construção e divulgação do espaço que vai ser seu. O espaço é livre.
JAMES: Vixe... Esse aí não é fácil. Como já disse acima, existem muitos blogs que tratam do assunto com competência científica e isso é muito bom. A proposta é que seja uma abordagem bem suave, com humor, pois necessitamos muito de diversão e alegria. Não podemos nos envolver apenas com os aspectos fisiológicos do Parkinson. Vamos tratar do tema com leveza.

Com o Sr. James aprendi, além de outras coisas:
- Ter calma, já que os nervos são o principal fator de problemas para nós;
- Ter sempre um projeto de vida para se apaixonar: como dizia Chico Xavier, estar apaixonado por um projeto faz com que Deus nos dê mais tempo de vida;
- Me movimentar mais, lembrando do sábio Almir Sater na música Tocando em Frente: “Ando devagar porque já tive pressa...”.

E com minha amiga Dalva Molnar aprendi muitas coisas, inclusive que temos muito TA...LEN...TO.

Este blog está trocando de roupa- AGUARDE: EM BREVE NOSSO CLOSET ESTARÁ COMPLETO

domingo, 27 de maio de 2012

Maioria das receitas para memória não funciona
JULLIANE SILVEIRA
DA REPORTAGEM LOCAL

A cada semana surge um estudo que associa algum hábito ou substância a maior ou menor risco de demência e, mais especificamente, de doença de Alzheimer. Porém, poucos trabalhos trazem resultados conclusivos, que justificariam essas indicações como forma de prevenir esses problemas.
A conclusão é de um grupo de especialistas que se reuniu na semana passada nos Estados Unidos para avaliar a produção científica realizada sobre o assunto nos últimos 20 anos. O encontro foi organizado pelo National Institutes of Health, o principal órgão americano de produção e financiamento de pesquisas médicas.
Para Alzheimer, doença que responde por boa parte dos casos de demência no mundo, as notícias são piores: não há nada que tenha eficácia cientificamente comprovada para prevenção. Isso deve tirar da lista de compras de alguns esperançosos os suplementos de gingko b iloba, as cápsulas de ômega-3 e de vitaminas. Esses produtos também não têm eficácia comprovada na prevenção de outros tipos de demência.
"O fato é que se investe muito dinheiro na pesquisa sobre doença de Alzheimer desde os anos 80 e, mesmo assim, até hoje não temos nada que realmente seja efetivo contra a doença. Apesar de todos os esforços, nada aconteceu. É um desastre", lamenta a patologista Lea Grinberg, coordenadora do Banco de Cérebros da Faculdade de Medicina da USP.
O documento poderá direcionar novas pesquisas na área e orientar especialistas sobre o que deve ser indicado ao paciente. "É importante especialmente quando sabemos que alguns profissionais divulgam esses métodos não comprovados: tem muito médico que prescreve ginkgo biloba aos montes, como prevenção e para quem já tem queixas de memória", diz Paulo Caramelli, neurologista da Universidade Federal de Minas Gerais.
Programas de computador e jogos que prometem evi t ar a perda de memória também não apresentaram nenhum efeito que justifique o investimento. "O efeito de ler frequentemente e de um programa proposto para treinar o cérebro é o mesmo", afirma Grinberg.

Problemas vasculares
Somados à doença de Alzheimer, problemas cardiovasculares são causa de 75% das demências no mundo. No Brasil, estima-se que de 8% a 12% da população com mais de 65 anos manifeste algum grau de perda cognitiva -maior parte dos casos é causada por questões vasculares.
Por isso, algumas intervenções se mostram importantes nos estudos avaliados para prevenir demência por essa causa. No levantamento americano, a dieta balanceada e a prática regular de exercícios físicos apresentaram resultados significativos, provavelmente pelo impacto no sistema cardiovascular.
A hipertensão arterial, por exemplo, pode causar microinfartos em pequenos vasos no cérebro (as arteríolas) e prejudicar a oxigenação e a chegada de nutrientes na região. Com isso, há degeneração de células e maior dificuldade de circulação de informações na área do cérebro atingida. Com o acúmulo dessas lesões, as chances de demência aumentam.
Fonte: Folha de São Paulo Saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário