NOSSO CANAL - VÍDEOS RECOMENDADOS

Loading...

ASSISTA OS VÍDEOS


EU VOCÊ E JAMES, JUNTOS NO YOU TUB


Há um ano comecei a formatar um blog que, na verdade, nem eu sabia ao certo o que pretendia e nem como seria esse “filho”, já que existiam muitos blogs falando com propriedade sobre Parkinson. Resultado: coloquei em "stand by". Queria colocar as idéias no lugar e aguardar uma inspiração.

Por que o nome EU, VOCÊ E JAMES?

EU: podemos falar dos nossos sonhos, aspirações, de receitas, atualidades, alegrias e tristezas, e variedades diversas.
VOCÊ: é a principal razão da existência do blog. É quem vai ajudar na construção e divulgação do espaço que vai ser seu. O espaço é livre.
JAMES: Vixe... Esse aí não é fácil. Como já disse acima, existem muitos blogs que tratam do assunto com competência científica e isso é muito bom. A proposta é que seja uma abordagem bem suave, com humor, pois necessitamos muito de diversão e alegria. Não podemos nos envolver apenas com os aspectos fisiológicos do Parkinson. Vamos tratar do tema com leveza.

Com o Sr. James aprendi, além de outras coisas:
- Ter calma, já que os nervos são o principal fator de problemas para nós;
- Ter sempre um projeto de vida para se apaixonar: como dizia Chico Xavier, estar apaixonado por um projeto faz com que Deus nos dê mais tempo de vida;
- Me movimentar mais, lembrando do sábio Almir Sater na música Tocando em Frente: “Ando devagar porque já tive pressa...”.

E com minha amiga Dalva Molnar aprendi muitas coisas, inclusive que temos muito TA...LEN...TO.

Este blog está trocando de roupa- AGUARDE: EM BREVE NOSSO CLOSET ESTARÁ COMPLETO

domingo, 27 de novembro de 2011

Filme de terror faz cérebro reviver experiências ruins

As situações de estresse agudo, como assistir a um filme de terror, levam o cérebro a lembrar de experiências ruins e a reorganizar seu modo de funcionamento, afirma um grupo de pesquisadores em artigo na revista "Science" desta semana.


"O estresse agudo altera a forma como nosso cérebro funciona. Esta mudança de estado cerebral pode ser entendida como uma redistribuição estratégica dos recursos que são vitais quando a sobrevivência está em jogo", disse o coordenador do estudo, Erno Hermans, da Universidade de Nova York.

Os cientistas expuseram 80 voluntários a materiais cinematográficos que causavam aversão e outros do gênero para comparar as reações cerebrais e analisar os compostos salivares em cada uma das situações.

Quando o cérebro se altera, os sentidos se aguçam e o medo cria um estado de alerta que fortalece as lembranças das experiências estressantes, além de prejudicar nossa capacidade de análise.

Este tipo de pesquisa já havia sido realizado anteriormente com animais expostos a estresse agudo.

INTERFERÊNCIA

As reações neuroquímicas liberam vários hormônios e neurotransmissores que são capazes de alterar algumas propriedades celulares e de grande escala em regiões cerebrais.

A ativação do eixo HPA (hipotálamo-hipófise-adrenal), que resulta no aumento da liberação sistêmica dos corticosteroides, é o selo distintivo da resposta à tensão. No entanto, a equipe de Hermans concluiu que o bloqueio do cortisol não influenciou na reorganização da rede cerebral.

"Mostramos que a atividade dos neurotransmissores na primeira fase de resposta à tensão provoca uma reorganização de recursos neuronais. Estes estabelecem uma rede que contém áreas envolvidas na reorientação da atenção, no aumento do alerta perceptivo e no controle automático dos hormônios", acrescentou.

Outra das conclusões do estudo é que as situações de estresse agudo tornam difícil pensar lentamente, enquanto se ativam no cérebro as regiões implicadas na atenção e no alerta, assim como no sistema hormonal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário