NOSSO CANAL - VÍDEOS RECOMENDADOS

Loading...

ASSISTA OS VÍDEOS


EU VOCÊ E JAMES, JUNTOS NO YOU TUB


Há um ano comecei a formatar um blog que, na verdade, nem eu sabia ao certo o que pretendia e nem como seria esse “filho”, já que existiam muitos blogs falando com propriedade sobre Parkinson. Resultado: coloquei em "stand by". Queria colocar as idéias no lugar e aguardar uma inspiração.

Por que o nome EU, VOCÊ E JAMES?

EU: podemos falar dos nossos sonhos, aspirações, de receitas, atualidades, alegrias e tristezas, e variedades diversas.
VOCÊ: é a principal razão da existência do blog. É quem vai ajudar na construção e divulgação do espaço que vai ser seu. O espaço é livre.
JAMES: Vixe... Esse aí não é fácil. Como já disse acima, existem muitos blogs que tratam do assunto com competência científica e isso é muito bom. A proposta é que seja uma abordagem bem suave, com humor, pois necessitamos muito de diversão e alegria. Não podemos nos envolver apenas com os aspectos fisiológicos do Parkinson. Vamos tratar do tema com leveza.

Com o Sr. James aprendi, além de outras coisas:
- Ter calma, já que os nervos são o principal fator de problemas para nós;
- Ter sempre um projeto de vida para se apaixonar: como dizia Chico Xavier, estar apaixonado por um projeto faz com que Deus nos dê mais tempo de vida;
- Me movimentar mais, lembrando do sábio Almir Sater na música Tocando em Frente: “Ando devagar porque já tive pressa...”.

E com minha amiga Dalva Molnar aprendi muitas coisas, inclusive que temos muito TA...LEN...TO.

Este blog está trocando de roupa- AGUARDE: EM BREVE NOSSO CLOSET ESTARÁ COMPLETO

sexta-feira, 30 de novembro de 2012


GSK condenada a pagar doente de Parkinson por efeitos colaterais de Requip

Christine Jambart comforts her husband, Didier, in the courthouse in Rennes. Source: AFP

November 29, 2012 - Ele era um membro honrado da comunidade, um marido amoroso e um pai responsável - até que lhe foi prescrito um tratamento para a doença de Parkinson. Dentro de dois anos, Didier Jambart havia se tornado viciado em jogo e em sexo gay que vendeu brinquedos de seus filhos para arrecadar dinheiro e exibiu-se na internet.

Em uma decisão inédita, um tribunal de recurso concedeu ao Sr. Jambart quase 200.000 euros (247.000 dólares) por danos da GlaxoSmithKline, a gigante farmacêutica britânica.

Sr. Jambart, 52 anos, estava em lágrimas ante os juízes manteve a afirmação de que sua vida havia se tornado "um inferno" depois que ele começou a tomar Requip, uma droga fabricada pela GSK. "Este é um grande dia", disse ele depois que o tribunal rejeitou o recurso da empresa contra uma decisão anterior para conceder-lhe 117.000 €.

Com a constatação de que havia "séria, precisa e corroborada" evidência para culpar a sua transformação com Requip, eles aumentaram o nível de danos a 197,468.83 euros.

Com Christine, sua mulher, em pé ao seu lado, o Sr. Jambart acrescentou: "Foi uma batalha de sete anos para obter o reconhecido, com os meios limitados de que dispomos, que a GlaxoSmithKline mentiu para nós e quebrou nossas vidas por razões comerciais.

"Estou feliz que a justiça tenha sido feita. Estou feliz por minha esposa e meus filhos. Estou nas últimas e vou ser capaz de dormir à noite e com a vida p'rá frente. Mas não é como se tivéssemos ganhado na loteria. Isto nunca vai substituir os anos de dor ".

O tribunal ouviu que o Sr. Jambart, um gerente de banco, vereador e pai de dois filhos de Nantes, no oeste da França, havia tentado cometer suicídio oito vezes depois de desenvolver uma paixão por jogos de azar e sexo quando ele começou a tomar Requip para a doença de Parkinson em 2003.

Ele disse que tinha esvaziado sua conta bancária, vendido brinquedos de seus filhos e roubado dinheiro de colegas de trabalho, amigos e vizinhos. Ele jogou um total de 82.000 euros, na sua maioria as apostas em corridas de cavalos na internet, ouviu o tribunal.

Sr. Jambart disse que também esteve envolvido em uma busca frenética por sexo gay - exibindo-se em sites na internet e organizando encontros, um dos quais resultou em ele ser estuprado. "Eu desenvolvi um hipersexualidade que se manifestou na forma de uma busca de prazer com homens e exibicionismo na internet", disse ele ao Oeste France, o jornal local de Nantes. "Minha família não entendia o que estava acontecendo - eu, um ex-vereador e gerente de banco."

Ele disse que seu comportamento voltou ao normal quando se deparou com um site que fez a ligação entre Requip e vícios em 2005 e parou de tomar a droga. "Minha vida era um inferno. Ela ainda é porque você não pode se esquecer de uma catástrofe como essa."

O tribunal ouviu que avisos sobre efeitos colaterais do Requip foram tornados públicos em 2006. O Sr. Jambart disse que a GSK deveria ter informado aos pacientes mais cedo.

"Requip é um bom remédio. Oferece soluções inegáveis ​​para as pessoas com doença de Parkinson", disse ele. "Mas as regras do jogo devem ser transparentes. Requip tem efeitos indesejáveis ​​e não é honesto, não dizer isso."

Jacques-Antoine Robert, advogado da GSK, disse ao tribunal em Rennes que a empresa tinha "sérias dúvidas" sobre o pedido de J. Jambart de ter desenvolvido dependência depois de tomar a droga. (em inglês) Fonte: The Australian.au. Em español no Ocio Gay.es. Em português no Globo G1.

Nota do blog.
Acredito plenamente pois eu após tomar "SIFROL", passei a ter compulsão por comer doces e não posso pois sou diabética. Passei também a comprar tudo que vejo desenfreadamente. Não consigo controlar.São anos de agonia.Agora partirei para um tratamento psicológico.  São os ossos do ofício. È o saldo que Mr. Parkinson deixou para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário